ALGAS MARINHAS BENTÔNICAS DO INFRALITORAL DA PRAIA DE PAJUÇARA, MACEIÓ, ALAGOAS

Authors

  • Fillype Emmanuel Gonçalves Quintella Lima
  • Victor Andrei Rodrigues Carneiro
  • Manoel Messias da Silva Costa
  • Fernando Pinto Coelho
  • Élica Amara Cecília Guedes-Coelho

DOI:

https://doi.org/10.56083/RCV4N6-043

Keywords:

macroalgas, ecossistemas costeiros, preservação ambiental, desenvolvimento de espécies

Abstract

As macroalgas marinhas são organismos, aquáticos, autotróficos e fotossintetizantes, responsáveis por boa parte da produção primária dos ecossistemas marinhos. Esses organismos estão primordialmente adaptados ao ambiente em que vivem sejam eles hostis, como as que compõem as regiões de mudanças de marés e costões rochosos, as que permanecem em águas claras com variações de profundidade, podendo chegar aos 100 metros com boa transparência e luminosidade. O objetivo do presente trabalho foi realizar um levantamento florístico das macroalgas marinhas bentônicas ocorrentes nos ecossistemas recifais no infralitoral da praia de Pajuçara, litoral da capital de Alagoas. As coletas foram realizadas no recife do Eufrásio que se localiza ao sul da praia da Pajuçara, distando da costa cerca de 5,3 km e com uma profundidade de 20 m. A coleta foi realizada nos meses de novembro e dezembro de 2015, março, abril e outubro de 2016 e janeiro, fevereiro e março de 2017 durante o período seco que engloba os meses de janeiro, fevereiro, março, outubro, novembro e dezembro. Foram identificadas um total de 34 espécies de algas. As Ordens Bryopsidales e Dictyotales se destacaram pela quantidade de táxons, com nove e seis espécies respectivamente. Dictyopteris jolyana, Dictyurus occidentalis e Caulerpa microphysa estiveram presentes em todas as coletas, demonstrando possivelmente que as condições físico-químicas do local são ideais para o seu desenvolvimento. Amphiroa sp., Dictyota sp., Dictyopteris jolyana, Halimeda gracilis e Tricleocarpa fragilis, foram encontradas colonizando tanto substratos rochosos como arenosos. Esse trabalho é fundamental para auxiliar e promover a preservação e desenvolvimento de espécies em ecossistemas costeiros de infralitoral, conforme foram demonstrados nos resultados apresentados.

References

ARAÚJO, T. C. M. ; LIMA, R. C. A. ; SEOANE, J. C. S. ; MANSO, V. A. V. Alagoas. In: Dieter Muehe. (Org.). Erosão e Progradação do Litoral Brasileiro. 1ed. Brasilia: Ministério do Meio Ambiente, v. 1, p. 197-212, 2006. ISBN 85-7738-028-9

BANDEIRA-PEDROSA, M. E.; PEREIRA, S. M. B.; OLIVEIRA, E. C. Taxonomy and distribution of the green algal genus Halimeda (Bryopsidales, Chlorophyta) in Brazil. Revista Brasileira de Botânica, v. 27, n. 2, p.363-377, 2004. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-84042004000200015

BRITO, G. B. et al. Levels and spatial distribution of trace elements in macroalgae species from the Todos os Santos Bay, Bahia, Brazil. Marine Pollution Bulletin, v. 64, p. 2238-2244, 2012. https://doi.org/10.1016/j.marpolbul.2012.06.022 DOI: https://doi.org/10.1016/j.marpolbul.2012.06.022

CORREIA, M. D. Scleractinian corals (Cnidaria: Anthozoa) from reef ecosystems on the Alagoas coast, Brazil. Journal of the Marine Biological Association of the United Kingdom, n. 91, p. 659-668, 2011. DOI: https://doi.org/10.1017/S0025315410000858 DOI: https://doi.org/10.1017/S0025315410000858

DIAS, G. T. M. Granulados Bioclásticos – Algas Calcárias. Brazilian Journal of Geophysics, v. 18, n. 3, 2000. DOI: 10.1590/S0102-261X2000000300008 DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-261X2000000300008

FIGUEIREDO, M. A. O.; BARRETO, M. B. B.; REIS, R. P. Caracterização das macroalgas nas comunidades marinhas da Área de proteção Ambiental de Cariacu, Parati, RJ – subsídios para futuros monitoramentos. Revista Brasileira de Botânica, v. 27, p. 11-17, 2004. https://doi.org/10.1590/S0100-84042004000100002 DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-84042004000100002

GUIRY, M. D.; GUIRY, G. M. AlgaeBase: Worldwide electronic publication. National University of Ireland, Galway. 2017. http://www.algaebase.org (accessed on 5 January 2018).

HAZIN, F. H. V. et al. Biomassa fitoplantônica, zooplanctônica, macrozooplâncton, avaliação espacial e temporal do ictioplâncton, estrutura da comunidade de larvas e de peixes e distribuição e abundância do ictionêuston. Programa Revizee - Score Nordeste. Fortaleza: Editora Martins & Cordeiro, 2009. 236p.

HORTA, P. A.; SALLES, J. P.; BOUZON, J. L.; SCHERNER, F.; CABRAL, D. Q.; BOUZON, Z. L. Composição e estrutura do fitobentos do infralitoral da Reserva Biológica Marinha do Arvoredo, Santa Catarina, Brasil- implicações para a conservação. Oecologia Brasiliensis, v. 12, p. 243-257, 2008. DOI: 10.4257/oeco.2008.1202.06 · DOI: https://doi.org/10.4257/oeco.2008.1202.06

LITTLER, M. M; LITTLER, D. S. Caribbean Reef Plants. Offshore Graphics, Inc., Washington, DC, 2000. 542p.

NASSAR, C. Macroalgas Marinhas do Brasil: Guia de Campo das Principais Espécies. Technical Books Editora, 2012. 182p.

NUNES, J. M. C. et al. Aspectos Taxonômicos de três espécies de Coralináceas não articuladas do litoral do estado da Bahia, Brasil. Rodriguésia, v. 59, n. 1, p. 75-86, 2008. https://doi.org/10.1590/2175-7860200859103 DOI: https://doi.org/10.1590/2175-7860200859103

OLIVEIRA, E. C. Macroalgas marinhas de valor comercial: Técnicas de cultivo. Rio de Janeiro. Panorama da Aquicultura, v. 7, n. 42, p. 42-45. 1997.

OLIVEIRA, E. C. Macroalgas marinhas da costa brasileira: estado do conhecimento, usos e conservação biológica. Biodiversidade, conservação e uso sustentável da flora do Brasil. Recife: Sociedade Botânica do Brasil, 2002.

RAVEN, P. H.; EVERT, R. F.; EICHHORN, S. E. Biologia Vegetal. 8ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014. 876p.

SOARES, P. L.; FUJII, M. T. Novas ocorrências de macroalgas bentônicas no estado de Pernambuco, Brasil. Rodriguésia, v. 63, n. 3, p. 557-570, 2012. https://doi.org/10.1590/S2175-78602012000300007 DOI: https://doi.org/10.1590/S2175-78602012000300007

STENECK, R. S.; DETHIER, M. N. A functional group approach to the structure of algal-dominated communities. Oikos, v. 69, p. 476-498. 1994. https://doi.org/10.2307/3545860 DOI: https://doi.org/10.2307/3545860

THIEL, M.; VÀSQUEZ, J. A. Are Kelp Holdfast Islands on the Ocean Floor? Indication for Temporarily Closed Aggregations of Peracarid Crustaceans. Hydrobiologia, v. 440, p. 45-54, 2000. https://doi.org/10.1023/A:1004188826443 DOI: https://doi.org/10.1007/978-94-017-1982-7_5

VILLAS-BOAS, A. B.; RIOSMENA-RODRIGUEZ, R.; AMADO-FILHO, G. M.; MANEVELDT, G. W.; FIGUEIREDO, M. A. O. Rhodolith-forming species of Lithophyllum (Corallinales, Rhodophyta) from Espírito Santo State, Brazil, including the description of L. depressum sp. Phycologia, v. 48, n. 4, p. 237-248, 2009. https://doi.org/10.2216/08-35.1 DOI: https://doi.org/10.2216/08-35.1

WYNNE, M.J. A checklist of benthic marine algae of the tropical and subtropical western Atlantic: Third revision 2011. Nova Hedwigia, v. 140, 2011. DOI: 10.4490/algae.2011.26.2.109. DOI: https://doi.org/10.4490/algae.2011.26.2.109

Published

2024-06-05

How to Cite

Lima, F. E. G. Q., Carneiro, V. A. R., Costa, M. M. da S., Coelho, F. P., & Guedes-Coelho, Élica A. C. (2024). ALGAS MARINHAS BENTÔNICAS DO INFRALITORAL DA PRAIA DE PAJUÇARA, MACEIÓ, ALAGOAS. Revista Contemporânea, 4(6), e4615. https://doi.org/10.56083/RCV4N6-043

Issue

Section

Articles