A VIOLÊNCIA OBSTÉTRICA SEGUNDO A VISÃO DOS ENFERMEIROS OBSTETRAS

Authors

  • Yasminn Kaiber Riberio
  • Vivianne Mendes Araújo Silva
  • Ana Luiza de Oliveira Carvalho

DOI:

https://doi.org/10.56083/RCV4N6-016

Keywords:

violência obstétrica, parto normal, enfermagem obstétrica, tocologia

Abstract

Introdução: O presente estudo tem como objetivos descrever a violência obstétrica durante o trabalho de parto e parto e discutir a prática da enfermagem obstétrica no processo de mudança na assistência ao parto e diminuição da violência obstétrica, na visão dos enfermeiros obstetras. Metodologia: Trata-se de um estudo exploratório, descritivo, com abordagem qualitativa. Os dados foram coletados por meio de uma entrevista semiestruturada, com perguntas abertas e fechadas. As entrevistas foram analisadas conforme a técnica de análise de conteúdo proposta por Bardin. Participaram do estudo 15 enfermeiros. Resultados e Discussões: Na análise foram identificadas 502 unidades de registro e, neste artigo, foi analisada a categoria de maior representatividade e suas referidas subcategorias. Enquanto conceito, os entrevistados apresentaram em suas falas a violência obstétrica como um desrespeito a autonomia feminina, além de citarem diversas práticas como exemplos da mesma. Além disso, foi explicitado a dificuldade de lidar com a conduta de outros profissionais, o que gera um sentimento de impotência profissional. Conclusão: Compreendeu-se dessa forma a necessidade de mais estudos referentes a temática, para que se amplie a percepção da enfermagem obstétrica acerca da mesma.

References

AGUIAR JM, Oliveira AFPL. Violência institucional em maternidades públicas sob a ótica das usuárias. Interface - Comunic., Saude, Educ., v.15, n.36, p.79-91, jan/mar. [periódico online] 2011 [acesso em 03 mar 2017]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/icse/v15n36/aop4010.pdf DOI: https://doi.org/10.1590/S1414-32832010005000035

BARDIN L. Análise de Conteúdo. Edições 70 (3ª ed.), Lisboa, 2016.

BRASIL. Lei n. 7.498, de 25 de junho de 1986. Dispõe sobre a regulamentação do exercício da enfermagem, e dá outras providências. Presidência da República Casa Civil

BRASIL. Ministério da Saúde. Diretriz Nacional de Assistência ao Parto Normal. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. [periódico online] 2016 [acesso em 02 mar 2017]. Disponível em: http://conitec.gov.br/images/Consultas/2016/Relatorio_Diretriz-PartoNormal_CP.pdf

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 1.459, de 24 de junho de 2011. Institui, no âmbito do Sistema Único de Saúde - SUS - a Rede Cegonha. [legislação na internet]. Brasília: 24 de junho, [periódico online] 2011 [acesso em 24 out 2015]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt1459_24_06_2011.html

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 569, de 1º de junho de 2000. Institui, no âmbito do Sistema Único de Saúde - SUS - o Programa de Humanização no Pré-natal e Nascimento [Legislação na Internet]. Brasília: 1 de junho de [periódico online] 2000 [acesso em 03 mar 2017]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2000/prt0569_01_06_2000_rep.html

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política nacional de promoção da saúde / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde. – Brasília: Ministério da Saúde, [periódico online] 2006 [acesso em 02 mar 2017]. Disponível em: http://www.pmf.sc.gov.br/arquivos/arquivos/pdf/28_11_2013_14.57.23.7ae506d47d4d289f777e2511c83e7d63.pdf

BRENES, AC. História da Parturição no Brasil, Século XIX. In: Cadernos de Saúde Pública, RJ, n.7, v.2, p. 135-149, abr/jun, [periódico online] 1991 [acesso em 15 set 2015]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v7n2/v7n2a02.pdf DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-311X1991000200002

CAUS ECM, Santos EKA, Nassif AA, Monticelli M. O processo de parir assistido pela enfermeira obstétrica no contexto hospitalar: significados para as parturientes. Esc. Anna Nery vol.16 no.1 Rio de Janeiro Mar. [periódico online] 2012 [acesso em 13 jul 2015]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-81452012000100005&script=sci_arttext DOI: https://doi.org/10.1590/S1414-81452012000100005

CIELLO C, Carvalho C, Kondo C, Delage D, Niy D, Werner L, et al. Dossiê da violência obstétrica: “parirás com dor” [periódico online] 2012 [acesso em 02 mar 2017]. Disponível em: http://www.senado.gov.br/comissoes/documentos/SSCEPI/DOC%20VCM%20367.pdf

DURAND MK, Heidemann ITSB. Promoção da autonomia da mulher na consulta de enfermagem em saúde da família. Rev. esc. enferm. USP vol.47 no.2 São Paulo Apr. [periódico online] 2013 [acesso em 03 mar 2017]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342013000200003 DOI: https://doi.org/10.1590/S0080-62342013000200003

FUJITA JALM, Shimo AKK. O enfrentamento da violência obstétrica e suas repercussões na prática de enfermeiras obstetras. Rev enferm UFPE on line., Recife, 9(12):1360-9, dez., [periódico online] 2015 [acesso em 02 mar 2017]. Disponível em: http://www.periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/10845/12056

GRIBOSKI RA, Guilhem D. Mulheres e profissionais de saúde: o imaginário cultural na humanização ao parto e nascimento. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, [periódico online] 2006 [acesso em 02 mar 2017]; 15(1): 107-14. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v15n1/a13v15n1.pdf DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-07072006000100013

MARQUE FC, Dias IMV, Azevedo L. A percepção da equipe de enfermagem sobre humanização do parto e nascimento. Esc Anna Nery R Enferm [periódico online] 2006 [acesso em 03 mar 2017] dez; 10 (3): 439 – 47. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ean/v10n3/v10n3a12.pdf DOI: https://doi.org/10.1590/S1414-81452006000300012

MARTINS CA, Mattos DV, Santos HFL. Autonomia da mulher no processo parturitivo. Rev enferm UFPE on line., Recife, 10(12):4509-16, dez., [periódico online] 2016 [acesso em 03 mar 2017]. Disponível em: http://www.periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/11517/13403

NJAINE K. Banalização da Violência. In: Dicionário feminino da infâmia: acolhimento e diagnostico de mulheres em situação de violência. / organizado por Elizabeth FT, Stela NM. – Rio de janeiro: Editora FIOCRUZ, 2015. p.54.

OLIVEIRA DC. Análise De Conteúdo Temático-Categorial: uma proposta de sistematização. Revista Enfermagem UERJ, 16(4): 569-76, 2008.

OLIVEIRA GG. Autonomia e consentimento do paciente frente a tratamentos de saúde. Revista do Curso de Direito da FSG v.11, n.20, p. 78–89, [periódico online] 2016 [acesso em 03 mar 2017]. Disponível em: http://ojs.fsg.br/index.php/direito/article/view/2369/1910

OLIVEIRA SF. Violência obstétrica. In: Dicionário feminino da infâmia: acolhimento e diagnostico de mulheres em situação de violência. / organizado por Elizabeth FT, Stela NM. – Rio de janeiro: Editora FIOCRUZ, 2015. p. 386-390.

Organização Mundial da Saúde. Declaração da OMS: Prevenção e eliminação de abusos, desrespeito e maus-tratos durante o parto em instituições de saúde. [periódico online] 2014 [acesso em 01 nov 2015]. Disponível em: http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/134588/3/WHO_RHR_14.23_por.pdf

Organização Mundial da Saúde. Maternidade Segura. Assistência ao parto normal: um guia prático. Genebra; [periódico online] 1996 [acesso em 24 out 2015]. Disponível em: http://abenfo.redesindical.com.br/arqs/materia/56_a.pdf

POTTER PA, Perry AG. Fundamentos de enfermagem. Editores das seções May Hall, Patricia A. Stockert; [tradução de Mayza Ritomy Ide... et al.]. – Rio de Janeiro : Elsevier, [periódico online] 2013 [acesso em 20 fev 2017].

REZENDE, CNDV. Violência Obstétrica: uma ofensa a direitos humanos ainda não reconhecida legalmente no Brasil. Centro Universitário de Brasília – UniCEUB. Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais – FAJS. Brasília, [periódico online] 2014 [acesso em 11 set 2015]. Disponível em: http://repositorio.uniceub.br/bitstream/235/5969/1/20812390.pdf

SAUAIA ASS, Serra MCM. Uma dor além do parto: violência obstétrica em foco. Revista de Direitos Humanos e Efetividade | e-ISSN: 2526-0022| Brasília | v. 2 | n. 1 | p. 128 - 147 | Jan/Jun. [periódico online] 2016 [acesso em 03 mar 2017]. Disponível em: http://www.indexlaw.org/index.php/revistadhe/article/view/1076/1072 DOI: https://doi.org/10.26668/IndexLawJournals/2526-0022/2016.v2i1.1076

SILVA JK, Mercês MC, Messias JMA, Guimarães KP, Jesus LMSB. Violência obstétrica no ambiente hospitalar: relato de experiência sobre incoerências e controvérsias. Rev enferm UFPE on line., Recife, 9(12):1345-51, dez., [periódico online] 2015 [acesso em 03 mar 2017]. Disponível em: http://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/10843/12052

SILVA LM, Barbieri M, Fustinoni SM. Vivenciando a experiência da parturição em um modelo assistencial humanizado. Rev Bras Enferm. [periódico online] 2011 [acesso em 24 out 2015]; 64(1): 60-5. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672011000100009 DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-71672011000100009

WOLFF LR, Waldow VR. Violência Consentida: mulheres em trabalho de parto e parto. Saúde Soc. São Paulo, v.17, n.3, p.138-151, [periódico online] 2008 [acesso em 15 set 2015]. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/sausoc/article/viewFile/7604/9128 DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-12902008000300014

Published

2024-06-04

How to Cite

Riberio, Y. K., Silva, V. M. A., & Carvalho, A. L. de O. (2024). A VIOLÊNCIA OBSTÉTRICA SEGUNDO A VISÃO DOS ENFERMEIROS OBSTETRAS. Revista Contemporânea, 4(6), e4585 . https://doi.org/10.56083/RCV4N6-016

Issue

Section

Articles