MONITORAMENTO DO ATENDIMENTO ANTIRRÁBICO HUMANO E ADESÃO À PROFILAXIA PÓS EXPOSIÇÃO NA SECRETARIA DE SAÚDE EM MARINGÁ-PR

Authors

  • Maria Fernanda Mathias
  • Lucas da Silva Cruz
  • Lucas Froes
  • Luiz Regis Prado Junior
  • Cláudia Tiemi Miyamoto Rosada
  • Sandra Andréa Pierini
  • Udelysses Janete Veltrini Fonzar

DOI:

https://doi.org/10.56083/RCV4N6-010

Keywords:

epidemiologia, ataque animal, raiva humana, SUS

Abstract

Com a criação do Programa Nacional de Profilaxia da Raiva Humana pelo Ministério da Saúde em 1977, desenvolveu-se um sistema de profilaxia da raiva humana tanto quanto o controle sobre a circulação do vírus. Devido à letalidade da raiva, a vacinação antirrábica pós-exposição para profilaxia é uma grande forma de prevenção, uma vez que o controle permanente dessa zoonose é primordial para a saúde pública, pois o vírus ainda circula em várias regiões do país. A vigilância das zoonoses de notificação compulsória, como a raiva, é um processo essencial a fim de que seja tomada a decisão de profilaxia de pós-exposição em tempo oportuno, como para os médicos veterinários, que devem adotar medidas de bloqueio de foco e controle animal. Nesse sentido, o objetivo desse projeto é monitorar o atendimento antirrábico humano na Secretária Municipal de Saúde de Maringá e analisar os dados de notificações de atendimentos antirrábicos em humanos, inclusos no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) entre de 2016 a 2023, no município de Maringá – PR. Com a análise dos resultados será possível traçar o perfil epidemiológico dos atendimentos antirrábicos humanos, bem como oportunizar aos discentes a vivência nos serviços de Vigilância em Saúde e Atenção Primária em Saúde como ferramentas de aprendizagem propiciando o ensino médico na  prática do serviço.

References

ACHA, P.N.; SZYFRES, B. Zoonosis y enfermedades transmisibles comunes al hombre y a los animales. Volumen 1: bacteriosis y micosis. Organización Panamericana de La Salud. 3 ed. Washington, 2003. (Publicación Científica, 580).

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Articulação Estratégica de Vigilância em Saúde. Guia de Vigilância em Saúde, 5° Ed – 5. ed. – Brasília: Ministério da Saúde, 2021. Disponível em: https://www.gov.br/saude/pt-br/centrais-de-conteudo/publicacoes-svs/vigiliancia/guia-de-vigilancia-em-saude_5ed_21nov21_isbn5.pdf/view. Acesso em: 13 dez. 2022.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. UNASUS. Indicadores de saúde: Medidas de morbidade. 1 jul. 2015. 1 fórmula. Disponível em: https://moodle.unasus.gov.br/vitrine29/pluginfile.php/6052/mod_resource/content/1/ebook/5.html. Acesso em: 2 ago. 2023.

CERQUEIRA, T. A. P. M.; LUZ , R. M. A. da; RIBEIRO, M. L.; AMORIM, G. C.; RAMOS, C. S.; COELHO, J. de A.; EIRAS, C. de S.; GITTI, C. B. Mudança no perfil epidemiológico da raiva no Brasil. Pubvet, [S. l.], v. 17, n. 09, p. e1455, 2023. DOI: 10.31533/pubvet.v17n9e1455. Disponível em: https://ojs.pubvet.com.br/index.php/revista/article/view/3287. Acesso em: 7 fev. 2024. DOI: https://doi.org/10.31533/pubvet.v17n9e1455

DUARTE, N. F. H.; et al. Epidemiologia da raiva humana no estado do Ceará, 1970 a 2019. Epidemiologia e Serviços de Saúde, [s. l.], v. 30, n. 1, 2021. DOI 10.1590/s1679-49742021000100010. Disponível em: https://search.ebscohost.com/login.aspx?direct=true&db=edsdoj&AN=edsdoj.664c0491666442bbb037b1ad204858fa&lang=pt-br&site=eds-live. Acesso em: 2 ago. 2023.

GONÇALVES, N. S.; SOARES, P. S.; SANTOS, D. C. O panorama epidemiológico geral da raiva humana no Brasil com foco principal na região sul do país nos últimos anos. Revista de Epidemiologia e Controle de Infecção, [s. l.], v. 8, n. 3, p. 268–275, 2018. DOI 10.17058/reci.v8i3.11270. Disponível em: https://search.ebscohost.com/login.aspx?direct=true&db=edsdoj&AN=edsdoj.5799766d34c4dd39992b6af722e31c1&lang=pt-br&site=eds-live. Acesso em: 2 ago. 2023. DOI: https://doi.org/10.17058/reci.v8i3.11270

HOLANDA DUARTE, N. F. et al. Epidemiologia da raiva humana no estado do Ceará, 1970 a 2019. Epidemiologia e Serviços de Saúde, [s. l.], v. 30, n. 1, 2021. DOI 10.1590/s1679-49742021000100010. Disponível em: https://search.ebscohost.com/login.aspx?direct=true&db=edsdoj&AN=edsdoj.664c0491666442bbb037b1ad204858fa&lang=pt-br&site=eds-live. Acesso em: 2 ago. 2023. DOI: https://doi.org/10.1590/s1679-49742021000100010

MEDEIROS SOARES, M. L. et al. Raiva Humana No Cenário Brasileiro. Revista Saúde, [s. l.], v. 10, n. 1, p. 80, 2016. Disponível em: https://search.ebscohost.com/login.aspx?direct=true&db=foh&AN=125570485&lang=pt-br&site=eds-live. Acesso em: 2 ago. 2023.

PINHEIRO, Adélia Maria; BARROS, Rívia Mary de; SOUZA, Márcia São Pedro Leal; BROUCKE, Vânia Rebouças Barbosa Vanden. Raiva Humana e Animal. Boletim Epidemiológico, [S. l.], v. 01, p. 1-4, 1 maio 2023. Disponível em: https://www.saude.ba.gov.br/wp-content/uploads/2018/02/boletimRaivaNo01_maio2022.pdf. Acesso em: 1 out. 2023.

...

Published

2024-06-04

How to Cite

Mathias, M. F., Cruz, L. da S., Froes, L., Prado Junior, L. R., Rosada, C. T. M., Pierini, S. A., & Fonzar, U. J. V. (2024). MONITORAMENTO DO ATENDIMENTO ANTIRRÁBICO HUMANO E ADESÃO À PROFILAXIA PÓS EXPOSIÇÃO NA SECRETARIA DE SAÚDE EM MARINGÁ-PR. Revista Contemporânea, 4(6), e4579. https://doi.org/10.56083/RCV4N6-010

Issue

Section

Articles