ANÁLISE DA LITERATURA ACERCA DOS EFEITOS DA FISIOTERAPIA AQUÁTICA EM IDOSOS

Authors

  • Luiza Carneiro Oliveira Neta
  • Gabriel André Medeiros de Carvalho
  • Gabrielle Natália Vieira da Silva
  • Ana Maria Rodrigues da Silva
  • Angely Caldas Gomes
  • Géssika Araújo de Melo

DOI:

https://doi.org/10.56083/RCV4N5-025

Keywords:

fisioterapia aquática, flexibilidade, mobilidade, saúde do idoso

Abstract

Introdução: O envelhecimento populacional tem aumentado globalmente, trazendo consigo desafios relacionados à saúde e qualidade de vida. Neste contexto, a fisioterapia aquática surge como uma abordagem promissora para melhorar a mobilidade e flexibilidade em idosos. Este estudo investigou os impactos da fisioterapia aquática na mobilidade e flexibilidade de indivíduos com 60 anos ou mais. Objetivo: O objetivo deste estudo foi analisar os efeitos da fisioterapia aquática na mobilidade e flexibilidade de idosos. Método: Foi conduzida uma revisão integrativa da literatura, seguindo as diretrizes metodológicas recomendadas. Artigos pertinentes foram selecionados nas bases de dados PUBMED, SciELO, BVS e PEDro, utilizando palavras-chave específicas. Foram incluídos artigos publicados entre 2019 e 2023 em Português e Inglês. Os dados foram analisados e organizados em dois eixos temáticos: amplitude de movimento (ADM) e flexibilidade. Resultados: A revisão identificou 12 artigos relevantes, dos quais 6 foram analisados. Os estudos revisados destacaram consistentemente os benefícios da fisioterapia aquática na melhoria da mobilidade e flexibilidade em idosos. A temperatura e o empuxo da água foram citados como fatores cruciais para tornar os movimentos mais fluidos e reduzir a dor, resultando em ganhos significativos na flexibilidade e ADM. Conclusão: Os resultados indicam que a fisioterapia aquática é eficaz na melhoria da mobilidade e flexibilidade em idosos, oferecendo uma alternativa valiosa para promover a qualidade de vida nessa população. No entanto, são necessários mais estudos com amostras mais sensíveis para melhor compreender a heterogeneidade dessa população e os efeitos da fisioterapia aquática em diferentes contextos clínicos.

References

ALVES, W C; JÚNIOR, E M G. Efeitos da fisioterapia aquática no tratamento da doença de Parkinson: um estudo de revisão. Revista Brasileira de Reabilitação e Atividade Física, v. 11, n. 1, p. 60-67, 2022.

ALMEIDA, A D et al. Efeitos de oito semanas de fisioterapia aquática na capacidade funcional em idosos com doenças crônicas não transmissíveis. SALUSVITA, v. 39, n. 4, p. 1015-1029, 2020.

ANTUNES, B T et al. Avaliação da marcha e do equilíbrio de pacientes idosos com osteoartrose de joelho. Brazilian Journal of Development . v. 6, n. 9, p. 72788-800, 2020. DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n9-650

BECKER, B E. Aquatic therapy: scientific foundations and clinical rehabilitation applications. Pm&r, v. 1, n. 9, p. 859-872, 2009. DOI: https://doi.org/10.1016/j.pmrj.2009.05.017

CABRAL, F D. Efeitos da hidroterapia na recuperação do equilíbrio e prevenção de quedas em idosos. Revista Científica da Faculdade Quirinópolis, v. 3, n. 11, p. 471-482, 2021.

DO NASCIMENTO ASSIS, F et al. A importância da fisioterapia aquática no envelhecimento. e-Revista Facitec, v. 10, n. 1, p. 1, 2019.

DOS SANTOS MODESTO, B; VIEIRA, K V S. Benefícios da fisioterapia aquática em idosos com osteoartrose de joelho. Revista Ibero-Americana de Humanidades, Ciências e Educação, v. 7, n. 10, p. 703-718, 2021. DOI: https://doi.org/10.51891/rease.v7i10.2612

DOLINY, A E F et al. Efeitos da fisioterapia aquática sobre variáveis cardiorrespiratórias na doença de Parkinson. Fisioterapia em Movimento, v. 36, p. e 36126, 2023. DOI: https://doi.org/10.1590/fm.2023.36126

DO ROCIO KAPPEL, J et al. Efeitos da fisioterapia aquática na força muscular respiratória de idosos. Brazilian Journal of Development, v. 9, n. 1, p. 4764-4779, 2023. DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv9n1-329

MENDES, K D S; SILVEIRA, R C C P; GALVÃO, C M. Revisão integrativa: método de pesquisa para incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto contexto enferm. Florianópolis, v.17, n.4, p. 758- 764. out/dez, 2008. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-07072008000400018

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE. Relatório mundial de envelhecimento e saúde. Estados Unidos, 2015.

PÉREZ-DE LA CRUZ, S. Comparison of aquatic therapy vs. dry land therapy to improve mobility of chronic stroke patients. International Journal of Environmental Research and Public Health, v. 17, n. 13, p. 4728, 2020. DOI: https://doi.org/10.3390/ijerph17134728

ROCHA, D H et al. Hidroterapia como recurso terapêutico em idosos com diagnóstico de osteoartrose de joelho. Revista Saúde dos Vales. v. 1, n. 1, p. 155-167, 2019

Published

2024-05-09

How to Cite

Oliveira Neta, L. C., Carvalho, G. A. M. de, Silva, G. N. V. da, Silva, A. M. R. da, Gomes, A. C., & Melo, G. A. de. (2024). ANÁLISE DA LITERATURA ACERCA DOS EFEITOS DA FISIOTERAPIA AQUÁTICA EM IDOSOS. Revista Contemporânea, 4(5), e4206. https://doi.org/10.56083/RCV4N5-025

Issue

Section

Articles