SISTEMA DE DEFESA/ATAQUE CONSELHEIRISTA NO PARQUE ESTADUAL DE CANUDOS – PEC (1897)

Authors

  • Rivaldo Cardoso Dantas

DOI:

https://doi.org/10.56083/RCV4N5-006

Keywords:

história militar, Guerra de Canudos, conselheiristas, trincheiras

Abstract

O presente texto tem o objetivo de apresentar as informações relatadas da monografia, Sistema de defesa/ataque conselheirista no Parque Estadual de Canudos – PEC (1897), no I Simpósio Nacional de História Militar, no Museu Naval do Rio de Janeiro. Ao longo do perímetro do Parque Estadual de Canudos (PEC) existe uma série de resquícios de estruturas arqueológicas denominadas, pela historiografia sobre a Guerra de Canudos, de Trincheiras Conselheiristas. No entanto, partindo da compreensão do conceito, características e tipos de fortificações, possivelmente, estas estruturas não correspondiam somente a trincheiras, havendo também a possibilidade da existência de outras estruturas não abordadas pela historiografia. Nesse contexto, a monografia teve o objetivo de identificar e apresentar o sistema de defesa e ataque conselheirista na região do PEC. Para tanto, antes, foi preciso compreender o clássico emprego da trincheira militar; o ensino militar brasileiro antes da Guerra de Canudos, relacionando-o com o ensino de Fortificação de Campanha; o conceito, as características e os tipos de fortificações de campanha, relacionadas aos resquícios arqueológicos; as interpretações de quatro livros específicos sobre as trincheiras do PEC, dois trabalhos arqueológicos e dois de militares que participaram do conflito; por fim, uma análise das fontes oficiais – as Partes de Combate e as Ordens de Dia – de alguns oficiais que participaram da peleja. Na conclusão foi apresentada a composição do complexo sistema de defesa e ataque conselheirista no PEC; observações sobre algumas estruturas arqueológicas; a relação dos termos entrincheirado, entrincheiramento e entrincheirar, com todas as estruturas empregadas pelos conselheiristas; a análise do recorrente erro de interpretações de algumas estruturas como a que tem as características alveolares; finalmente, algumas orientações para o aprofundamento da pesquisa.

References

ALBUQUERQUE, Caetano M. de F.e. Diccionário Téchnico Militar de Terra. Lisboa: Typographia do Annuario Commercial, 1911.

ARARIPE, Tristão de Alencar. Expedições militares contra Canudos: seu aspecto marcial. 2. ed. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, 1985. (Coleção General Benício; v. 230).

ARQUEOLOGIA BRASILEIRA. Canudos. Disponível em: <http://www.itaucultural.org.br/arqueologia/pt/tempo/canudos/index.html>. Acesso em: 3 ago. 2015.

BARRETO, Dantas. Ultima Expedição de Canudos. Porto Alegre: Editores Franco & Irmao, 1898.

BAZOTE, Sylvio Mario. Guerra de Trincheiras: As trincheiras na Primeira Guerra Mundial. 2014. Disponível em:< http://historiasylvio.blogspot.com.br/2014/06/guerrade-trincheiras.html>. Acesso em: 13 jun. 2015.

CABRAL, Dilma. Academia Real Militar. Disponível em: < http://linux.an.gov.br/mapa/?p=2438>. Acesso em: 08 jun. 2015.

CARDOSO, Maria Luiza. A Formação de Artilheiros e de Engenheiros em Portugal e na sua colônia Brasil: Um estudo comparativo. Disponível em: < http://www.eceme.ensino.eb.br/cihm/Arquivos/PDF%20Files/74.pdf>. Acesso em: 08 jun. 2015.

CUNHA, Euclides da. Os Sertões: Campanha de Canudos. São Paulo: Círculo do Livro, 1975.

FRACOLA, Felipe. Guerras de Trincheiras: o inferno. 2012. Disponível em: < http://1guerramundial-historiaecuriosidades.blogspot.com.br/>. Acesso em 15 jun. 2015.

GARRY, Sheffield. A Guerra de Trincheiras: o fim do avanço dos exércitos. Traduzido por Rosemarie Ziegelmaier. São Paulo: Folha de São Paulo, 2014. (Coleção Folha. As grandes guerras mundiais; v. 2. Primeira Guerra Mundial).

JUNIOR, Antônio Gasparetto. Guerra de Trincheiras. Disponível em: <http://www.valedoparaiba.com/terragente/estudos/rev32_02.htm>. Acesso em: 07 jun. 2015.

LUCENA, Luiz Castelliano de. Um Breve Histórico do IME – Instituto Militar de Engenharia: Real Academia de Artilharia, Fortificação e Desenho, 1792. Rio de Janeiro, 2005. Disponível em: <http://www.ime.eb.br/arquivos/Noticia/historicoIME.pdf>. Acesso em: 08 jun. 2015.

NUNES, Antônio Lopes Pires. Dicionário de Arquitectura Militar. Casal de Cambra: Caleidoscópio, 2005.

PIRASSINUNGA, Adailton Sampaio. O ensino militar no Brasil (Colônia). Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, 1958.

RIO DE JANEIRO. Carta de Lei, de 4 de dezembro de 1810. Crea uma Academia Real Militar na Côrte e Cidade do Rio de Janeiro. Coleção das Leis do Brasil de 1810. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1891, p. 232-246. vol. 1. Disponível em: <http://www2.camara.leg.br/atividadelegislativa/legislacao/publicacoes/doimperio/colecao1.html>. Acesso em: 07 jul. 2015.

SOUNDHAUS, Lawrence. A Primeira Guerra Mundial. São Paulo: Contexto, 2013. Disponível em: file:///C:/Users/nara%20santos/Downloads/A%20Primeira%20Guerra%20Mundial%20%20Sondhaus,%20Lawrence%20(1).pdf>. Acesso em: 12 jun. 2015.

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA./C.E.E.C. Arqueologia e Reconstituição Monumental do Parque Estadual de Canudos. Salvador: UNEB, 2002.

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA/C.E.E.C. Arqueologia Histórica de Canudos: estudos preliminares. Salvador: Portfolium, 1996.

Published

2024-05-02

How to Cite

Dantas, R. C. (2024). SISTEMA DE DEFESA/ATAQUE CONSELHEIRISTA NO PARQUE ESTADUAL DE CANUDOS – PEC (1897) . Revista Contemporânea, 4(5), e4154 . https://doi.org/10.56083/RCV4N5-006

Issue

Section

Articles