FORÇA DE PREENSÃO PALMAR E VELOCIDADE DA MARCHA DE SEIS METROS NO PÓS-OPERATÓRIO DE CIRURGIA CARDÍACA: QUAL A ASSOCIAÇÃO?

Authors

  • Joana de Lima Goes
  • Francine Xavier Guterres Cruvinel
  • Luana dos Passos Vieira
  • Marina Möhlecke de Souza
  • Bruna Eduarda Diehl
  • Ana Carolina Severo
  • Lilian Regina Lengler Abentroth
  • Dulciane Nunes Paiva

DOI:

https://doi.org/10.56083/RCV3N11-101

Keywords:

Período Pós-Operatório, Cirurgia Torácica, Doenças Cardiovasculares, Procedimentos Cirúrgicos Cardíacos

Abstract

O presente estudo objetivou identificar o tipo de associação entre tais variáveis em pacientes submetidos à cirurgia cardíaca. Estudo transversal que avaliou o tipo de associação existente entre a velocidade da marcha no Teste de Velocidade de 6 minutos (TV6M) e a Força de Preensão palmar (FPP) no pré-operatório, no PO mediato e no PO tardio (30 dias após a alta hospitalar) de pacientes submetidos à cirurgia de revascularização do miocárdio e/ou troca valvar. A associação entre a velocidade da marcha e a FPP foi avaliada por meio do teste de correlação de Pearson, sendo sua normalidade avaliada por meio do teste de Shapiro-Wilk (p<0,05). A amostra final foi composta por 48 indivíduos com média de idade de 63,19±8,6 anos e índice de massa corporal de 26,9±2,89 Kg/m2. No pré-operatório, a FPP da mão dominante apresentou correlação positiva e forte com a velocidade da marcha (r=0,712; p<0,001), moderada no POt (r=0,571; p<0,001) e no PO ambulatorial (r=0,602; p<0,001). No POt, a FPP apresentou correlação positiva e moderada com a velocidade da marcha no pré-operatório (r=0,645; p<0,001), no PO mediato (r=0,715; p<0,001) e, no PO tardio (r=0,712; p<0,001) houve uma correlação forte. A força de preensão palmar está diretamente associada à velocidade da marcha em pacientes submetidos à cirurgia cardíaca.

References

AMERICAN THORACIC SOCIETY. ATS Statement: Guidelines for the Six-Minute Walk Test. American Journal of Respiratory and Critical Care Medicine, v. 166, n. 1, p. 111–117, 2002. DOI: 10.1164/ajrccm.166.1.at1102. DOI: https://doi.org/10.1164/ajrccm.166.1.at1102

ANDRADE, A. Y. T.; TANAKA, P. S. de L.; POVEDA, V. de B.; TURRINI, R. N. T. Complicações no pós-operatório imediato de revascularização do miocárdio. Revista SOBECC, v. 24, n. 4, p. 224–230, 2019. DOI: 10.5327/Z1414-4425201900040008. DOI: https://doi.org/10.5327/Z1414-4425201900040008

ARAÚJO, R. G., et al. Correlação da força de preensão palmar e parâmetros nutricionais em idosos hospitalizados/Correlação da força de preensão manual e parâmetros nutricionais em idosos hospitalizados. Revista Brasileira de Revisão de Saúde, v. 6, p. 15838–15851, 2020. DOI: 10.34119/bjhrv3n6-018. DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n6-018

BEVILACQUA, J. B., et al. Associação entre força de preensão palmar e capacidade funcional em idosos candidatos à reabilitação cardíaca e idosos sem evento cardiovascular prévio. Revista Kairós-Gerontologia, v. 23, n. 1, p. 471–489, 2020. DOI: 10.23925/2176-901X.2020v23i1p471-489.

BORGES, A. C. S., et al. Dislipidemia mista e o risco da evolução de doenças cardiovasculares em idosos. Research, Society and Development, v. 10, n. 3, p. e38310313416–e38310313416, 2021. DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v10i3.13416. DOI: https://doi.org/10.33448/rsd-v10i3.13416

CORDEIRO, D. G.; SARINHO, A. M. M. Prescrição de exercícios para idosos com doenças cardiovasculares. RECIMA21 - Revista Científica Multidisciplinar, v. 4, n. 1, p. e412628, 2023. DOI: 10.47820/recima21.v4i1.2628. DOI: https://doi.org/10.47820/recima21.v4i1.2628

DATASUS- Ministério da Saúde [homepage na Internet]. Secretaria Executiva. Informações de Saúde. Morbidade e informações epidemiológicas. Disponível em: http://www.datasus.gov.br. Acesso em: 20 dez. 2020.

FARIAS, P., et al. Mortalidade de pacientes submetidos à cirurgia cardíaca. Pesquisa, Sociedade e Desenvolvimento, v. 5, p. e12110514610, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i5.14610. DOI: https://doi.org/10.33448/rsd-v10i5.14610

FIGUEIREDO, M. L., et al. Evolução pós-operatória mediata e tardia de pacientes submetidos a cirurgias cardíacas eletivas. Advances in Nursing and Health, v. 3, p. 14-30, 2021. DOI: 10.5433/anh.2021v3.id41857. DOI: https://doi.org/10.5433/anh.2021v3.id41857

GUTERRES, J.; ALEGRE, P. Hospital de clínicas de porto alegre residência integrada multiprofissional em saúde: Capacidade funcional e força muscular periférica em pacientes com insuficiência cardíaca durante a internação hospitalar e após a alta. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/205879/001111973.pdf?sequence=1. Acesso em: 26 jun. 2023.

IWATSU, K., et al. Neuromuscular electrical stimulation may attenuate muscle proteolysis after cardiovascular surgery: A preliminary study. The Journal of Thoracic and Cardiovascular Surgery, v. 153, n. 2, p. 373-379.e1, 1 fev. 2017. DOI: 10.1016/j.jtcvs.2016.09.036 DOI: https://doi.org/10.1016/j.jtcvs.2016.09.036

LANS, C., et al. Test–retest reliability of six‐minute walk tests over a one‐year period in patients with chronic heart failure. Clinical Physiology and Functional Imaging, v. 40, n. 4, p. 284–289, 2020. DOI:10.1111/cpf.12637. DOI: https://doi.org/10.1111/cpf.12637

LEE, S. C., et al. Validating the capability for measuring age-related changes in grip-force strength using a digital hand-held dynamometer in healthy young and elderly adults. BioMed Research International, v. 6936879, p. 1–9, 2020. DOI: 10.1155/2020/6936879. DOI: https://doi.org/10.1155/2020/6936879

LEE, S. H.; GONG, H. S. Grip strength measurement for outcome assessment in common hand surgeries. Clinics in Orthopedic Surgery, v. 14, n. 1, p. 1, 2022. DOI: doi:10.4055/cios21090. DOI: https://doi.org/10.4055/cios21090

LENARDT, M. H., et al. A velocidade da marcha e ocorrência de quedas em idosos longevos. Reme: Revista Mineira de Enfermagem, v. 23, p. e1190, 2019. DOI: http://dx.doi.org/10.5935/1415-2762.20190038. DOI: https://doi.org/10.5935/1415-2762.20190038

MACENA, R.P.S. Avaliação da funcionalidade de mulheres com endometriose através do teste de velocidade da marcha - um estudo piloto. Trabalho de Conclusão de Curso, 2022: 1-38. Disponível em: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/50436. Acesso em: 13 out. 2023.

MARTINEZ, B. P., et al. Viability of gait speed test in hospitalized elderly patients. Jornal Brasileiro de Pneumologia, v. 42, n. 3, p. 196–202, 2016. DOI: https://doi.org/10.1590/S1806-37562015000000058 DOI: https://doi.org/10.1590/S1806-37562015000000058

NEDER, J.; CORTOZI BERTON, D.; O'DONNELL, D. Tirando o máximo proveito do teste de caminhada de seis minutos EDUCAÇÃO CONTINUADA: FISIOLOGIA RESPIRATÓRIA. Jornal Brasileiro de Pneumologia, v. 49, n. 1, p. 20230028, 2023. DOI: 10.36416/1806-3756/e20230028 DOI: https://doi.org/10.36416/1806-3756/e20230028

NETO, A. V., et al. Complicações pós-operatórias de cirurgia cardíaca em pacientes adultos: revisão de escopo. Ciência e Enfermaria, Concepção, v. 27, n. 34, p. 1-13 2021. Epub 27 de janeiro de 2022. DOI: http://dx.doi.org/10.29393/ce27-34coai40034. DOI: https://doi.org/10.29393/CE27-34COAI40034

PUTHOFF, M. L.; SASKOWSKI, D. Reliability and responsiveness of gait speed, five times sit to stand, and hand grip strength for patients in cardiac rehabilitation. Cardiopulmonary Physical Therapy Journal, v. 24, n. 1, p. 31–37, 2013. DOI: 10.1097/01823246-201324010-00005 DOI: https://doi.org/10.1097/01823246-201324010-00005

RITT, L. E. F., et al. O Teste do Degrau de Seis Minutos como preditor de capacidade funcional de acordo com o consumo de oxigênio de pico em pacientes cardíacos. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, v. 116, n. 5, p. 889–895, 2021. DOI: https://doi.org/10.36660/abc.20190624 DOI: https://doi.org/10.36660/abc.20190624

SANTOS, A. O. D., et al. Velocidade de marcha e reinternação hospitalar após cirurgia de revascularização do miocárdio. Revista Brasileira de Fisiologia do Exercício, v. 21, n. 2, p. 92–100, 2022. DOI: https://doi.org/10.33233/rbfex.v21i2.5183 DOI: https://doi.org/10.33233/rbfex.v21i2.5183

SOUZA, A. C. T., et al. Correlação entre capacidade funcional, força muscular respiratória e força de preensão palmar em candidatos a transplante de fígado. Clinical and Biomedical Research, v. 42, n. 4, 2023. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/view/123704. Acesso em: 14 out. 2023. DOI: https://doi.org/10.22491/2357-9730.123704

World Health Organization. Cardiovascular diseases. Disponível em: https://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/cardiovascular-diseases-(cvds). Acesso em: ago. 2020.

Published

2023-11-17

How to Cite

Goes, J. de L., Cruvinel, F. X. G., Vieira, L. dos P., de Souza, M. M., Diehl, B. E., Severo, A. C., Abentroth, L. R. L., & Paiva, D. N. (2023). FORÇA DE PREENSÃO PALMAR E VELOCIDADE DA MARCHA DE SEIS METROS NO PÓS-OPERATÓRIO DE CIRURGIA CARDÍACA: QUAL A ASSOCIAÇÃO? . Revista Contemporânea, 3(11), 21909–21923. https://doi.org/10.56083/RCV3N11-101

Issue

Section

Articles