ESTUDO APLICADO ÀS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DOS ESTADOS DE PERNAMBUCO E BAHIA

Authors

  • Bruno Augusto de Souza Aguiar
  • Daniele de Castro Pessoa de Melo
  • Marcondes Albuquerque de Oliveira
  • Chirley Vanuyre Vianna Cordeiro
  • Clecia Simone Gonçalves Rosa Pacheco
  • Cynthia Maria de Lyra Neves
  • Josemário Martins da Silva
  • Rosiane Rocha Oliveira Santos

DOI:

https://doi.org/10.56083/RCV3N11-078

Keywords:

Unidades de Conservação, Áreas Protegidas, Plano de Manejo, Sustentabilidade

Abstract

Em virtude da sua importância para a sustentabilidade ambiental, as Unidades de Conservação (UCs) recebem proteção legal, a fim de concretizarem seu papel de espaços territoriais destinados à preservação da fauna e flora e ao manejo ecológico dos recursos naturais. No entanto, nos Estados de Pernambuco e Bahia, localizados na região Nordeste do Brasil, há muitas UCs Estaduais que não são devidamente protegidas, principalmente, no que corresponde ao atendimento às normas legais que as instituíram. Com o intuito de constatar tal deficiência, o presente artigo buscou realizar um estudo sobre o aspecto legal e o cenário atual dessas UCs. Para tanto, o presente estudo é resultado de uma pesquisa bibliográfica com abordagem qualiquantitativa e de cunho exploratório. Sendo os dados coletados através da busca sistemática de dispositivos legais que regulamentam as UCs, bem como de portais oficiais dos estados em análise e do governo federal.  Os resultados obtidos trouxeram um diagnóstico preocupante a respeito das UCs pesquisadas, sendo constatadas deficiências que comprometem a gestão desses espaços, que na teoria deveriam ser permanentemente protegidos. Como principais resultados identificou-se que é necessário para a constituição de qualquer categoria de UC Estadual, que ações jurídicas/administrativas sejam bem estabelecidas e fomentadas, em caráter contínuo, a fim de garantir a proteção efetiva do ecossistema em conformidade com as normas legais vigentes. 

References

ANTUNES, Paulo de Bessa. Direito Ambiental. São Paulo: Atlas, 14.ed., 2012.

BAHIA. LEI Nº 10.431, DE20 DE DEZEMBRODE 2006. Dispõe sobre a Política de Meio Ambiente e de Proteção à Biodiversidade do Estado da Bahia e dá outras providências. 2006. Disponível em: <http://www.seia.ba.gov.br/sites/default/files/legislation/Lei%2010431_2006.pdf>. Acesso em: 16 de março de 2023.

BENSUSAN, N. Conservação da biodiversidade em áreas protegidas. Rio de Janeiro: Editora FGV (1a ed.). 2006.

BRASIL. Constituição Federal de 1988. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Casa Civil, 1988.

______. LEI Nº 6.938, DE 31 DE AGOSTO DE 1981. Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências. 1981. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l6938.htm>. Acesso em: 10 de fevereiro de 2023.

______. LEI Nº 9.985, DE 18 DE JULHO DE 2000 (Lei do SNUC). Regulamenta o Art. 225, § 1o, incisos I, II, III e VII da Constituição Federal, institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza e dá outras providências. 2000. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9985.htm>. Acesso em: 01 de fevereiro de 2023.

______. LEI Nº 12.651, DE 25 DE MAIO DE 2012. Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa; altera as Leis nos 6.938, de 31 de agosto de 1981, 9.393, de 19 de dezembro de 1996, e 11.428, de 22 de dezembro de 2006; revoga as Leis nos 4.771, de 15 de setembro de 1965, e 7.754, de 14 de abril de 1989, e a Medida Provisória no 2.166-67, de 24 de agosto de 2001; e dá outras providências. 2012. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2012/Lei/L12651.htm>. Acesso em: 05 de fevereiro de 2023.

______. LEI Nº 6.513, DE 20 DE DEZEMBRO DE 1977. Dispõe sobre a criação de Áreas Especiais e de Locais de Interesse Turístico; sobre o Inventário com finalidades turísticas dos bens de valor cultural e natural; acrescenta inciso ao Art. 2º da Lei nº 4.132, de 10 de setembro de 1962; altera a redação e acrescenta dispositivo à Lei nº 4.717, de 29 de junho de 1965; e dá outras providências. 1977. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l6513.htm>. Acesso em: 15 de fevereiro de 2023.

______. DECRETO Nº 4.340, DE 22 DE AGOSTO DE 2002. Regulamenta artigos da Lei no 9.985, de 18 de julho de 2000, que dispõe sobre o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza - SNUC, e dá outras providências. 2002. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=374>. Acesso em: 10 de março de 2023.

______. DECRETO LEGISLATIVO No 2, DE 1994. Aprova o texto da Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB), assinada durante a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento realizada na cidade do Rio de Janeiro, no período de 5 a 14 de junho de 1992. 1994. Disponível em: <http://www.florestascertificadas.org.br/sites/default/files/Decreto_legislativo_N_2_1994.pdf>. Acesso em: 20 de abril de 2023.

______. RESOLUÇÃO CONAMA nº 11, de 3 de dezembro de 1987. Dispõe sobre a declaração, como Unidades de Conservação, de várias categorias de Sítios Ecológicos de Relevância Cultural. 1987. Disponível em <http://www.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=62>. Acesso em: 22 de fevereiro de 2023.

______. RESOLUÇÃO CONAMA 371, 05 de abril de 2006. Estabelece diretrizes aos órgãos ambientais para o cálculo, cobrança, aplicação, aprovação e controle de gastos de recursos advindos de compensação ambiental [...]. Disponível em <http://www.normasbrasil.com.br/norma/resolucao-371-2006_103468.html>. Acesso em: 01 de maio de 2023.

BRITO. Unidades de Conservação: intenções e resultados. São Paulo Annablume: FAPESP. 2000.

CAMPHORA, Ana Lucia. Ambiente institucional da compensação ambiental de que trata o artigo 36 da Lei Federal 9.985/2000: da necessidade de governança regulatória. 2008. 171 f. Tese (Doutorado em desenvolvimento, Agricultura e Sociedade) – Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, 2008.

CPRH, Agência Estadual de Meio Ambiente de Pernambuco. Descrição das Unidades. Disponível em <http://www.cprh.pe.gov.br/Unidades_de_Conservacao/descricao_das_unidades/41788%3B48981%3B5001%3B0%3B0.asp>. Acesso em: 20 de abril de 2023.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 5.ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GOHN, M. da G. Conselhos gestores e participação sociopolítica. São Paulo: Cortez, 2003.

GRANZIERA, Maria Luiza Machado. Direito Ambiental. 2. Ed. revista e atualizada. São Paulo: Atlas, 2011.

IBAMA, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis. Núcleo de Educação Ambiental /RJ. Educação Ambiental e gestão participativa em Unidades de Conservação. Org. e autoria Carlos Frederico B. Loureiro, Brasília: 2001.

INEMA. Instituto de Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Bahia. Unidades de Conservação do Estado. Disponível em <http://www.inema.ba.gov.br/gestao-2/unidades-de-conservacao/definicao/unidades-de-conservacao-do-estado/>.Acesso em 10 de abril de 2023.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Metodologia do trabalho científico: procedimentos básicos, pesquisa bibliográfica, projeto e relatório, publicações e trabalhos científicos. 6ª ed. São Paulo: Atlas, 2001.

MEDEIROS, R. A Proteção da Natureza: das Estratégias Internacionais e Nacionais às demandas Locais. Rio de Janeiro: UFRJ/PPG. Tese (Doutorado em Geografia). 2003, 391p.

MILARÉ, Édis. DIREITO DO AMBIENTE: doutrina – jurisprudência – glossário. Editora Revista dos Tribunais. 3ª Ed.2004.

MILARÉ, Édis. Direito Ambiental. 11. ed. São Paulo: RT, 2018.

MORSELLO, C. Áreas Protegidas Públicas e Privadas. 2. ed. São Paulo, Brasil: Editora Annablume/Fapesp, 2006. 343 p.

NEUMAN, W. L. (2016). Social research methods: Qualitative and quantitative approaches. Pearson, 2016.

PERNAMBUCO. LEI Nº 13.787, DE 8 DE JUNHO DE 2009. Institui o Sistema Estadual de Unidades de Conservação da Natureza – SEUC, no âmbito do Estado de Pernambuco, e dá outras providências. 2009. Disponível em: < http://legis.alepe.pe.gov.br/arquivoTexto.aspx?tiponorma=1&numero=13787&complemento=0&ano=2009&tipo=>. Acesso em: 16 de março de 2023.

REIS, João Rodrigo Leitão dos; FARIA, Ivani Ferreira; e FRAXE, Therezinha de Jesus Pinto. COMPENSAÇÃO AMBIENTAL DE MEGAEMPREENDIMENTOS NO ESTADO DO AMAZONAS: RELAÇÃO ENTRE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE E DESENVOLVIMENTO. Revista Sociedade & Natureza, vol. 29, núm. 1, maio-agosto, 2017, pp. 137-154. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/sn/a/gjX4h3z8HYL3FGZWSVVNx6S/?format=pdf&lang=pt>. Acesso em: 20 de junho de 2023. DOI: https://doi.org/10.14393/SN-v29n1-2017-9

SILVA, José Afonso da. DIREITO AMBIENTAL CONSTITUCIONAL. São Paulo. Ed. Malheiros Editores LTDA, 4ª edição, 2003.

TERBORGH, J.; SCHAIK, C. V. Por que o mundo necessita de parques? In: Tornando os parques eficientes: estratégias para conservação da natureza nos trópicos. Curitiba: Universidade Federal do Paraná, 2002. p. 25-36.

THOMÉ, Romeu. Manual de Direito Ambiental. 3. Ed. Salvador: JusPodivm, 2013.

UICN. Guidelines protected Area Management Categories. Gland: UICN, 1994.

YIN, R. K. Case study research and applications: Design and methods. Sage Publications, 2017.

Published

2023-11-13

How to Cite

Aguiar, B. A. de S., de Melo, D. de C. P., de Oliveira, M. A., Cordeiro, C. V. V., Pacheco, C. S. G. R., Neves, C. M. de L., da Silva, J. M., & Santos, R. R. O. (2023). ESTUDO APLICADO ÀS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DOS ESTADOS DE PERNAMBUCO E BAHIA. Revista Contemporânea, 3(11), 21404–21431. https://doi.org/10.56083/RCV3N11-078

Issue

Section

Articles