A RELAÇÃO ENTRE AS FUNÇÕES COGNITIVAS E O DESEMPENHO DAS ATIVIDADES COTIDIANAS DE IDOSOS

Authors

  • Eloise Galego dos Santos
  • Bárbara Caroline Mendes Henrique
  • Caroline Araújo Oliveira de Almeida
  • Manuela Lima Carvalho da Rocha
  • Kátia Maki Omura

DOI:

https://doi.org/10.56083/RCV3N10-125

Keywords:

Idoso, Cognição, Atividades Cotidianas, Terapia Ocupacional

Abstract

Introdução: É evidenciado, através de dados demográficos, o crescimento da população idosa. Haja vista, que as condições do envelhecimento envolvem fatores naturais que afetam biológica e fisiologicamente, envolvem perdas significativas e podendo gerar declínios cognitivos e funcionais. Tais declínios resultam em vários desafios relacionados ao adoecimento, dependência e fragilidade, comprometendo as habilidades para desempenhar as atividades cotidianas de forma satisfatória. Objetivo: Sendo assim, o presente artigo teve como objetivo analisar a relação entre as funções cognitivas e o desempenho ocupacional de idosos da região metropolitana de Belém-PA sob a ótica terapêutica ocupacional. Métodos: Trata-se de um estudo observacional do tipo transversal com amostra de 43 participantes, inicialmente realizou-se uma triagem de seleção e após a assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE), foi realizada avaliação dos idosos que aceitaram participar da pesquisa. Os idosos responderam um questionário sócio demográfico estruturado e foram avaliados através da aplicação do Exame Cognitivo de Addenbrooke. Resultados: Os idosos relataram dificuldade na realização de suas Atividades de Vida Diária e Atividades Instrumentais de Vida Diária e com relação ao estado mental as áreas que tiveram um déficit notório foram recordação, memória retrógrada, reconhecimento, habilidades visuoespaciais, atenção e concentração, áreas que são fundamentais no desempenho e execução de tarefas do dia a dia. Conclusão: Fica evidente a importância da análise entre a relação das funções mentais e do desempenho dos idosos em suas atividades cotidianas, visto que evidencia o grau de contribuição para a Terapia Ocupacional junto aos cuidados no âmbito da assistência geriátrica.

References

Alves, L. R. R. (2018). Intervenções em idosos de terapia ocupacional na área cognitiva: uma revisão integrativa. [Trabalho de Conclusão de Curso, Universidade de Brasília, Faculdade de Ceilândia] https://bdm.unb.br/handle/10483/23884

Ansai, S., Beeri, M. S., & Haroutunian, V. (2013). Epigenetic determinants of healthy and diseased brain aging and cognition. JAMA neurology, 70(6), 711-718. DOI:10.1001/jamaneurol.2013.1459

Ansai, J. H. (2017). Análise da mobilidade, dupla tarefa funcional e quedas em idosos preservados cognitivamente, com comprometimento cognitivo leve e doença de Alzheimer. [Teses e dissertações, Universidade Federal de São Carlos - UFSCar]. https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/8882

Berkley, A. S., Carter, P. A., Yoder, L. H., Acton, G., & Holahan, C. K. (2020). The effects of insomnia on older adults’ quality of life and daily functioning: a mixed-methods study. Geriatric Nursing, 41(6), 832-838. https://doi.org/10.1016/j.gerinurse.2020.05.008

Bottari, T. T. (2018). Percepção dos cuidadores de idosos perante a atuação de Terapeuta Ocupacional. [Trabalho de Conclusão de Curso, Universidade Federal de Santa Maria] http://repositorio.ufsm.br/handle/1/25912

Carneiro, D. N., Vilela, A. B. A., & Meira, S. S. (2016). Avaliação do déficit cognitivo, mobilidade e atividades da vida diária entre idosos. Revista de APS, 19(2). https://periodicos.ufjf.br/index.php/aps/article/view/15453

Carvalho, V. A., & Caramelli, P. (2007). Adaptação brasileira do exame cognitivo de Addenbrooke-Revisado. Dementia & Neuropsychologia, 1, 212-216. https://doi.org/10.1590/S1980-57642008DN10200015

Cechetti, F. (2011). Relação entre função cognitiva e capacidade funcional em idosos institucionalizados de Caxias do Sul/RS. Fisioterapia Brasil, 12(5), 347-352. DOI: https://doi.org/10.33233/fb.v12i5.937

Chin, A. L., Negash, S., Xie, S., Arnold, S. E., & Hamilton, R. (2012). Quality, and not just quantity, of education accounts for differences in psychometric performance between african americans and white non-hispanics with Alzheimer's disease. Journal of the International Neuropsychological Society, 18(2), 277-285. https://doi.org/10.1017/S1355617711001688

Costa, M. B. A. L. D. (2020). Terapia Ocupacional III: Desempenho Ocupacional da pessoa idosa: um olhar para a participação e a funcionalidade. http://hdl.handle.net/10400.8/4741

Cruz, G. P. D., Pereira, L. S., & Raymundo, T. M. (2022). Treino cognitivo para idosos sem déficit cognitivo: uma intervenção da terapia ocupacional durante a pandemia da COVID-19. Cadernos Brasileiros de Terapia Ocupacional, 30. https://doi.org/10.1590/2526-8910.ctoAO22963030

DEMOGRÁFICO, C. (2010). Educação e deslocamento: resultados da amostra. Rio de Janeiro: IBGE.

de Oliveira Brasil, A. C. (2013). Promoção de saúde e a funcionalidade humana. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, 26(1), 1-4. DOI: https://doi.org/10.5020/2646

Falci, D. M., Mambrini, J. V. D. M., Castro-Costa, É., Firmo, J. O. A., Lima-Costa, M. F., & Loyola, A. I. D. (2019). Uso de psicofármacos prediz incapacidade funcional entre idosos. Revista de saúde pública, 53. https://doi.org/10.11606/S1518-8787.2019053000675

Ferreira, L. M. D. B. M., Jerez-Roig, J., Andrade, F. L. J. P. D., Oliveira, N. P. D. D., Araújo, J. R. T. D., & Lima, K. C. D. (2016). Prevalência de quedas e avaliação da mobilidade em idosos institucionalizados. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 19, 995-1003. https://doi.org/10.1590/1981-22562016019.160034

Freitas, E. V. D., Py, L., Cançado, F. A. X., Doll, J., & Gorzoni, M. L. (2006). Tratado de geriatria e gerontologia. In Tratado de geriatria e gerontologia (pp. 1665-1665).

Frizoni, E. O., Bianchin, M. A., & Tognola, W. A. (2019). Desempenho ocupacional do paciente, percepção e sobrecarga do cuidador de idoso no processo demencial. Revista Kairós-Gerontologia, 22(2), 213-229. DOI:https://doi.org/10.23925/2176-901X.2019v22i2p213-229

Gomes, E. C. C., Souza, S. L. D., Marques, A. P. D. O., & Leal, M. C. C. (2020). Treino de estimulação de memória e a funcionalidade do idoso sem comprometimento cognitivo: uma revisão integrativa. Ciência & Saúde Coletiva, 25, 2193-2202. https://doi.org/10.1590/1413-81232020256.24662018

Gomes, M. D., Teixeira, L., & Ribeiro, J. (2021). Enquadramento da Prática da Terapia Ocupacional: Domínio & Processo 4ª Edição. DOI: https://doi.org/10.25766/671r-0c18

Horta, M. R. M. (2022). Elaboração de instrumento para averiguar o desempenho ocupacional de crianças e adolescentes cardiopatas em internação hospitalar. [Disertação, Instituto Nacional de Cardiologia] https://dspace.inc.saude.gov.br/handle/123456789/71

IBGE, C. D. (2022). Disponível em: http://cidades. ibge. gov. br

Leal, R. C., de Jesus Veras, S. M., de Souza Silva, M. A., Gonçalves, C. F. G., Silva, C. R. D. T., de Sá, A. K. L., ... & da Silva, M. F. B. (2020). Efeitos do envelhecer: grau de dependência de idosos para as atividades da vida diária. Brazilian Journal of Development, 6(7), 53931-53940. DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n7-876

Maciel, Á. C. C., & Guerra, R. O. (2007). Influência dos fatores biopsicossociais sobre a capacidade funcional de idosos residentes no nordestes do Brasil. Revista brasileira de epidemiologia, 10(2), 178-189. https://doi.org/10.1590/S1415-790X2007000200006

Mariano, P. P., Carreira, L., Lucena, A. C. R. M., & Salci, M. A. (2020). Desenvolvimento de atividades de estímulo cognitivo e motor: perspectiva de idosos institucionalizados. Escola Anna Nery, 24. https://doi.org/10.1590/2177-9465-EAN-2019-0265

Miki, E., & Kawabata, R. (2020). Associações entre desempenho ocupacional e qualidade de vida, bem-estar e atividades instrumentais da vida diária em idosos. Cadernos Brasileiros de Terapia Ocupacional, 28, 1117-1132. https://doi.org/10.4322/2526-8910.ctoAO2096

Mota, S. G. D., Jesus, I. T. M. D., Inouye, K., Macedo, M. N. G. F., Brito, T. R. P. D., & Santos-Orlandi, A. A. D. (2021). SONO DE MÁ QUALIDADE ESTÁ PRESENTE EM IDOSOS COM PIOR NÍVEL SOCIAL E DE SAÚDE?. Texto & Contexto-Enfermagem, 30. https://doi.org/10.1590/1980-265x-tce-2020-0614

Paulo, D. L. V., & Yassuda, M. S. (2010). Queixas de memória de idosos e sua relação com escolaridade, desempenho cognitivo e sintomas de depressão e ansiedade. Archives of Clinical Psychiatry (São Paulo), 37, 23-26. https://doi.org/10.1590/S0101-60832010000100005

Silva, F. C. M., & Silva, H. R. O. (2014). Bem estar subjetivo, funcionalidade e apoio social em idosos da comunidade. Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento, 19(3). DOI: https://doi.org/10.22456/2316-2171.43389

Silva, R. M. I. D. (2022). Aspectos socioeconômicos e demográficos: autonomia do idoso em gerir sua própria vida [Bachelor's thesis, Universidade Federal do Rio Grande do Norte]. https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/46828

Soares, M. F. N., Maia, L. C., Costa, S. D. M., & Caldeira, A. P. (2020). Dependência Funcional em idosos assistidos por equipes da Estratégia Saúde da Família. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 22. https://doi.org/10.1590/1981-22562019022.190147

Published

2023-10-24

How to Cite

dos Santos, E. G., Henrique, B. C. M., de Almeida, C. A. O., da Rocha, M. L. C., & Omura, K. M. (2023). A RELAÇÃO ENTRE AS FUNÇÕES COGNITIVAS E O DESEMPENHO DAS ATIVIDADES COTIDIANAS DE IDOSOS. Revista Contemporânea, 3(10), 18946–18967. https://doi.org/10.56083/RCV3N10-125

Issue

Section

Articles