OS PREJUÍZOS PSICOLÓGICOS EM MULHERES VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

Authors

  • Adriana da Conceição Calheiros de Sena
  • Elielza Silva de Queiroz
  • Vanisleia Moura Coelho
  • Wollace Scantbelruy da Rocha

DOI:

https://doi.org/10.56083/RCV3N10-095

Keywords:

Consequências Psicológicas, Estratégias de Enfrentamento, Violência Doméstica, Mulheres

Abstract

Esta pesquisa visa abordar a violência doméstica contra mulheres, enfatizando as consequências psicológicas e os impactos sociais dessa forma de violência, bem como a eficácia da Lei Maria da Penha como instrumento de proteção e prevenção. A pesquisa utilizou uma abordagem metodológica qualitativa, com revisão sistemática da literatura de artigos relacionados à temática. Os resultados mostram que a violência doméstica assume várias formas e deixa marcas profundas nas vítimas, causando transtornos mentais e afetando negativamente a qualidade de vida. A Lei Maria da Penha representa um avanço legal no combate à violência de gênero, mas ainda enfrenta desafios para sua eficácia, incluindo a conscientização pública e a implementação eficaz das medidas protetivas. Os objetivos da pesquisa foram compreender as estratégias de enfrentamento das consequências psicológicas da violência doméstica contra mulheres e avaliar a eficácia da Lei Maria da Penha como instrumento de proteção e prevenção dessa violência. Os objetivos específicos foram apresentar as consequências psicológicas em mulheres vítimas de violência doméstica, descrever as estratégias de enfrentamento dessas consequências e identificar a eficácia da Lei Maria da Penha para as mulheres vítimas de violência.

References

Abissamra, A. et al. (2023). Transtornos De Ansiedade E Depressão Em Mulheres Vítimas De Violência Por Parceiros Intímos. Diálogos Interdisciplinares, 14(3), 344-355.

Almeida, R. L. P. de & Mendonça, A. L. P. (2021). A Violência contra a Mulher e a Lei Maria da Penha: Uma Efetiva Proteção ou uma Legislação Simbólica? Nome da Revista, 15(3).

Arente, A. M. (2022). “É pela vida das mulheres”: uma análise da violência de gênero no município de Miracema do Tocantins – TO. (Tese de graduação, Curso de Serviço Social, Campus Universitário de Miracema, Universidade Federal do Tocantins).

Barbosa, A. F. et al. (2022). A Revitimização Das Mulheres Vítimas De Violência Doméstica Psicológica Frente Às Internações Psiquiátricas Involuntárias Prolongadas: Um Case Ilustrativo. Revista Ibero-Americana de Humanidades, Ciências e Educação, 8(7), 410–423. DOI: https://doi.org/10.51891/rease.v8i7.6183

Basílio, R. & Muner, L. (2023). TRANSTORNOS MENTAIS COMUNS CAUSADOS PELA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA EM MULHERES. Revista Cathedral, 5(1), 36-46.

Bonifácio, L. M. M., Lins, E. B. L., Romão, K. N., Melo, M. E. V. de., Lima, M. L. L. de A., Carvalho, M. P. de., Matos, M. V. M. de., & Souza, M. B. R. de. (2023). Domestic violence and postpartum depression: a literature review. Research, Society and Development, 12(3), e26412340774. https://doi.org/10.33448/rsd-v12i3.40774 DOI: https://doi.org/10.33448/rsd-v12i3.40774

Bonifácio, L.M.M., Lins, E.B.L., Romão, K.N., Melo, M. E. V. de, Lima, M.L.L.de A., Carvalho, M.P.de, Matos, M.V.M.de, & Souza, M.B.R.de (2023). Domestic violence and postpartum depression: a literature review.

Brasil. (2006). Lei 11.340 de 07 de agosto de/2006 – “Lei Maria da Penha”.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. (2001). Violência intrafamiliar: orientações para prática em serviço.

Camargo, N. de O. (2022). Violência Patrimonial: A Violência contra a Mulher como Violação dos Direitos Humanos. Revista Ibero-Americana de Humanidades, Ciências e Educação - REASE, 8(11). DOI: https://doi.org/10.51891/rease.v8i11.7712

Centro Feminista de Estudo e Assessoria. (2007). Lei Maria da Penha: do papel para a vida. Comentários à Lei 11.340/2006 e sua inclusão no ciclo orçamentário.

Conselho Nacional de Justiça. Prisões por violência doméstica crescem 30% em 2020. Disponível em: https://www.cnj.jus.br/prisoes-por-violencia-domestica-crescem-30-em-2020/. Acesso em: 9 set. 2023.

Datafolha. Metade das mulheres agredidas não denuncia o agressor, diz Datafolha. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2020/08/metade-das-mulheres-agredidas-nao-denuncia-o-agressor-diz-datafolha.shtml. Acesso em: 9 set. 2023.

Dias, V. P. (2022). Os entrelaços de gênero e raça: mulheres negras e a resistência contra a violência doméstica. (Tese de graduação, Repositório da Universidade Federal do Tocantins, Campus de Miracema).

Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Feminicídios crescem 22% em São Paulo em 2020 mesmo com quarentena. Disponível em: https://forumseguranca.org.br/noticias/feminicidios-crescem-22-em-sao-paulo-em-2020-mesmo-com-quarentena/. Acesso em: 9 set. 2023.

Gonçalves, S. F. L. (2019). Justiça terapêutica e violência doméstica: um estudo de caso sobre o tratamento do agressor na comarca de Miracema do Tocantins - TO. (Tese de pós-graduação, Universidade Federal do Tocantins, Programa de Pós-Graduação em Prestação Jurisdicional em Direitos Humanos).

Lisboa, T. K. & Zucco, L. P. (2022). Os 15 anos da Lei Maria da Penha. Revista Estudos Feministas, 30(2). DOI: https://doi.org/10.1590/1806-9584-2022v30n286982

Lucena, A. P. M. P., Souza, N. L. da R., & Silva, R. M. da. (2023). Estresse e estratégias de enfrentamento de mulheres em situação de violência. Revista REVOLUA, 2(1), 246–255.

Machado, M. C. R. (2023). Impacto psicológico da violência doméstica contra a mulher: análise dos efeitos nas vítimas.

Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. 105 mil denúncias de violência contra a mulher foram recebidas pelo Ligue 180 em 2020. Disponível em: https://www.gov.br/mdh/pt-br/assuntos/noticias/2020/novembro/105-mil-denuncias-de-violencia-contra-a-mulher-foram-recebidas-pelo-ligue-180-em-2020. Acesso em: 9 set. 2023.

Oliveira, P. R., Carvalho, B. L. P., Sousa, A. G. M., & Silva, R. M. da (2022). Sintomas depressivos e qualidade de vida de mulheres em situação de violência. Revista REVOLUA, 1(2), 107–115.

Organização Mundial de Saúde (2005). Relatório Mundial Violência e Saúde.

Santana, P. C., Bonfante, K., & Silva, D. (2023). O Dano Emocional em Mulheres Vítimas de Violência Psicológica: Um Mapeamento Sistemático de Literatura. Anima Educação.

Santos, D. F. dos (2022). Saúde mental de profissionais da Psicologia que atuam junto a mulheres em situação de violência doméstica: uma revisão integrativa.

Secretaria Especial de Direitos Humanos (2006). Direitos humanos: Documentos Internacionais.

Sousa, B. d. S (2023). Impactos da violência doméstica e familiar na vida das mulheres: consequências psicológicas e emocionais.

Souza, C. A. (2021). Agressão Contra Mulheres No Seio Familiar: Uma Revisão da Literatura.Revista Cathedral, 3(2), 134-145.

Vieira, G. G. da S. (2019). Violência por parceiro íntimo contra gestante notificadas no SINAN, no sul do Brasil [Tese de doutorado, Universidade Federal de Santa Catarina]. Repositório Institucional da UFSC.

Published

2023-10-19

How to Cite

de Sena, A. da C. C., de Queiroz, E. S., Coelho, V. M., & da Rocha, W. S. (2023). OS PREJUÍZOS PSICOLÓGICOS EM MULHERES VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA. Revista Contemporânea, 3(10), 18412–18432. https://doi.org/10.56083/RCV3N10-095

Issue

Section

Articles