INFORMAÇÕES SOBRE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA VEICULADAS NO YOUTUBE NO PERÍODO DA PANDEMIA DA COVID-19

Authors

  • Helena de Paula Gonçalves Lima
  • Adriana Gomes Nogueira Ferreira
  • Janaína Miranda Bezerra
  • Jaíza Sousa Penha
  • Rafaela Cristina Araújo-Gomes
  • Ismália Cassandra Costa Maia Dias

DOI:

https://doi.org/10.56083/RCV3N10-048

Keywords:

Violência Contra a Mulher, Educação em Saúde, Filme e Vídeo Educativo, COVID-19

Abstract

Objetivo: identificar informações sobre violência doméstica divulgadas nos vídeos da plataforma de compartilhamento YouTube no período da pandemia de COVID-19. Metodologia: revisão narrativa da literatura, realizada em janeiro de 2022, na plataforma de compartilhamento de vídeos YouTube, utilizando-se os termos “Violência contra a Mulher Quarentena”, “Violência contra a Mulher Pandemia” e “Violência contra a Mulher COVID-19”, para responder à pergunta: “Como as informações sobre violência doméstica contra a mulher foram veiculadas no YouTube, no período da pandemia da COVID-19 nos anos de 2020 e 2021?”. Foram extraídos dos vídeos link de acesso, formação do autor, tipos de informações e violência, público-alvo, duração (tempo), data de publicação, visualizações, acessibilidade e abordagem sobre COVID-19. Resultados: foram selecionados 73 vídeos, alguns possuíam audiodescrição, legenda e Língua Brasileira de Sinais apresentando média de 5 minutos de duração. As informações veiculadas são relacionadas ao aumento dos casos, divulgadas pelos profissionais da comunicação, direito e, em menor proporção, pelos profissionais de saúde. Conclusão: as mídias digitais abordaram estratégias para manter a comunicação com mulheres vítimas de violência, especialmente sobre redes de enfrentamento e formas de denúncia em tempos de pandemia.

References

ASSOCIAÇÃO DOS MAGISTRADOS BRASILEIROS. Sinal vermelho contra a violência doméstica: você não está sozinha. São Paulo: Amb, 2020. 19 p. Disponível em: https://www.amb.com.br/wp-content/uploads/2020/07/cartilha-sinal-vermelho-AMB-7.pdf. Acesso em: 04 jul. 2021.

BATTISTELLA, C. Denúncias de violência doméstica caem 65% em SC em quarentena do coronavírus; polícia redobra atenção. NSC Total, Santa Catarina, 25 de março de 2020. Disponível em: https://www.nsctotal.com.br/noticias/denuncias-de-violencia-domestica-caem-65-em-sc-em-quarentena-do-coronavirus-policia. Acesso em: 19 jul. 2021.

BEIRAS, A.; NASCIMENTO, M.; INCROCCI, C. Programas de atenção a homens autores de violência contra as mulheres: um panorama das intervenções no brasil. Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 28, n. 1, p. 262-274, mar. 2019. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s0104-12902019170995. DOI: https://doi.org/10.1590/s0104-12902019170995

BRASIL. LEI No 11.340, DE 7 DE AGOSTO DE 2006. Coíbe a violência doméstica e familiar contra a mulher. Brasília, 2006. Disponível em: www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11340.htm. Acesso em: 13 de dezembro de 2019.

BRASIL. LEI Nº 13.146, DE 6 DE JULHO DE 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Brasília, 2015. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm. Acesso em: 23 de junho de 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção Especializada à Saúde. Departamento de Atenção Hospitalar, Domiciliar e de Urgência. Protocolo de Manejo Clínico da COVID-19 na Atenção Especializada. Brasília: Ministério da Saúde, 1 ed, 48 p, 2020. Disponível em: World Wide Web:http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manejo_clinico_covid-19_atencao_ especializada.pdf. Acesso em: 27 de dezembro de 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção Especializada à Saúde. Departamento de Atenção Hospitalar, Domiciliar e de Urgência. Protocolo de Tratamento do Novo Coronavírus (2019 n-CoV). Brasília, Ministério da Saúde, 1 ed, 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Promoção da Saúde: PNPS: revisão de Portaria MS/GM nº 687, de 30 de março de 2006. Ministério da Saúde, Brasília, 1 ed., p. 36, 2015.

BRITO, L. et al. Impactos Sociais da COVID-19: uma perspectiva sensível às desigualdades de gênero. Rio de Janeiro, FIOCRUZ, Ministério da Saúde, 2020. Disponível em: https://portal.fiocruz.br/sites/portal.fiocruz.br/files/documentos/impactos_sociais_da_covid_genero_17.04_final_0.pdf. Acesso em: 03 de fevereiro de 2021.

BUENO, S.; BOHNENBERGER, M.; SOBRAL. I. Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2021. Fórum Brasileiro de Segurança Pública. 15 ed. 2021. Disponível em: https://forumseguranca.org.br/anuario-brasileiro-seguranca-publica/. Acesso em: 21 de julho de 2021.

CARDOSO, F. P. Vozes de mulheres com deficiência e a violência de gênero: análise discursiva de narrativas de vida em campo grande. 2019. 168 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Letras, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 2019. Cap. 5. Disponível em: http://www.uems.br/assets/uploads/cursos_pos/edc4fb6d0115090bccaa9167bb1cda17/teses_dissertacoes/1_edc4fb6d0115090bccaa9167bb1cda17_2019-11-26_10-58-52.pdf. Acesso em: 04 jul. 2021.

CHINTALAPATI, N; DARURI, V. S. K. Examining the use of YouTube as a Learning Resource in higher education: Scale development and validation of TAM model. Telematics and Informatics, Califórnia, v. 34, n. 6, p. 853 – 860, 2017. DOI: https://doi.org/10.1016/j.tele.2016.08.008. DOI: https://doi.org/10.1016/j.tele.2016.08.008

CURIA, B. G. et al. Produções Científicas Brasileiras em Psicologia sobre Violência contra Mulher por Parceiro Íntimo. Psicologia: Ciência e Profissão, São Paulo, v. 40, 2020. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/1982-3703003189184. DOI: https://doi.org/10.1590/1982-3703003189184

FORNARI, L. F. et al. Domestic violence against women amidst the pandemic: coping strategies disseminated by digital media. Revista Brasileira de Enfermagem, São Paulo, v. 74, n. 1, set. 2021. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2020-0631. DOI: https://doi.org/10.1590/0034-7167-2020-0631

GALINDO NETO, N. M. et al. Information about COVID-19 for deaf people: an analysis of youtube videos in brazilian sign language. Revista Brasileira de Enfermagem, São Paulo, v. 74, n. 1, p. 1-7, set. 2021. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2020-0291. DOI: https://doi.org/10.1590/0034-7167-2020-0291

GUIMARÃES, M. C.; PEDROZA, R. L. S. Violência contra a mulher: problematizando definições teóricas, filosóficas e jurídicas. Psicologia & Sociedade, v. 27, n. 2, p. 256–266, ago. 2015. DOI: https://doi.org/10.1590/1807-03102015v27n2p256

LACERDA, M. R; COSTENARO, R. G. S. (Org.). Metodologia da pesquisa para enfermagem e saúde: da teoria à prática. Porto Alegre: Moriá, 2016. 496 p.

MARQUES, E. S. et al. A violência contra mulheres, crianças e adolescentes em tempos de pandemia pela COVID-19: panorama, motivações e formas de enfrentamento. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 36, n. 4, p. 1-6, abr. 2020. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/0102-311x00074420. DOI: https://doi.org/10.1590/0102-311x00074420

MAZZI, C. Violência doméstica dispara na quarentena: como reconhecer, proteger e denunciar. O GLOBO, Rio de Janeiro, 01 de maio de 2020. Disponível em: https://oglobo.globo.com/sociedade/coronavirus-servico/violencia-domestica-dispara-na-quarentena-como-reconhecer-proteger-denunciar-24405355. Acesso em: 19 jul. 2021.

NETTO, L. A. et al. Atuação da Enfermagem na Conservação da Saúde de Mulheres em Situação de Violência. Revista Mineira de Enfermagem, v. 22, p. 1–8, 2018. DOI: 10.5935/1415-2762.20180080. DOI: https://doi.org/10.5935/1415-2762.20180080

ONU MULHERES. Violência contra as Mulheres é pandemia invisível, afirma diretora executiva da ONU Mulheres. Brasília, ONU Mulheres, 2020. Disponível em: https://www.onumulheres.org.br/noticias/violencia-contra-as-mulheres-e-meninas-e-pandemia-invisivel-afirma-diretora-executiva-da-onu-mulheres/. Acesso em: 03 de fevereiro de 2021.

PORTUGAL. Secretaria de Estado para a Cidadania e a Igualdade. Portugal Mais Rica. Guia de boas práticas dos órgãos de comunicação social na prevenção e combate à violência contra as mulheres e violência doméstica. Portugal: República Portuguesa, 2019. Disponível em: https://www.cig.gov.pt/wp-content/uploads/2019/09/GuiDeBoasPracticas.pdf. Acesso em: 04 de fevereiro de 2021.

RODRIGUES JUNIOR, J. C. et al. Development of an educational video for the promotion of eye health in school children. Texto & Contexto - Enfermagem, Santa Catarina, v. 26, n. 2, 2017. FapUNIFESP (SciELO). DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0104-07072017006760015. DOI: https://doi.org/10.1590/0104-07072017006760015

RUIZ-PÉREZ, I.; PASTOR-MORENO, G. Medidas de contención de la violencia de género durante la pandemia de COVID-19. Gaceta Sanitaria, Spanish, v. 35, n. 4, p. 389-394, jul. 2021. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.gaceta.2020.04.005. DOI: https://doi.org/10.1016/j.gaceta.2020.04.005

SECRETARIA NACIONAL DE POLÍTICAS PARA MULHERES (SNPM). Enfrentando a violência doméstica e familiar contra a mulher. Brasília: Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, 2020. 35 p. Disponível em: https://www.gov.br/ebserh/pt-br/comunicacao/noticias/ebserh-apoia-acao-do-mfdh-que-visa-combater-violencia-contra-a-mulher/enfrentando-a-violencia-domestica-e-familiar-contra-a-mulher.pdf. Acesso em: 04 jul. 2021.

SILVA, L. E. L.; OLIVEIRA, M. L. C. Violência contra a mulher: revisão sistemática da produção científica nacional no período de 2009 a 2013. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 20, n. 11, p. 3523-3532, nov. 2015. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/1413-812320152011.11302014. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-812320152011.11302014

ZAMPAR, B. et al. Abordagem da violência contra a mulher no contexto da COVID-19: versão para profissionais. Rio de Janeiro: SBMFC, 2020. 40 p.

Published

2023-10-09

How to Cite

Lima, H. de P. G., Ferreira, A. G. N., Bezerra, J. M., Penha, J. S., Araújo-Gomes, R. C., & Dias, I. C. C. M. (2023). INFORMAÇÕES SOBRE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA VEICULADAS NO YOUTUBE NO PERÍODO DA PANDEMIA DA COVID-19. Revista Contemporânea, 3(10), 17510–17532. https://doi.org/10.56083/RCV3N10-048

Issue

Section

Articles