COBERTURA VACINAL NO BRASIL EM COMBATE AO VÍRUS DA RAIVA EM CÃES E GATOS ASSOCIADA A FATORES SOCIODEMOGRÁFICOS ENTRE OS ANOS DE 2013 A 2019

Authors

  • Brenda Picoli Gheno
  • Tamiris Silva Lopes
  • Laura Pancich Diesel
  • André Felipe Streck
  • Flávia Picoli Gheno
  • Vagner Ricardo Lunge
  • Adriana Mattedi Soares
  • Angelo Jose Goncalves Bos

DOI:

https://doi.org/10.56083/RCV3N10-003

Keywords:

Raiva, Vacinação, Saúde Única

Abstract

A raiva é uma doença viral de caráter zoonótico que tem como agente etiológico o vírus da raiva, pertencente à família Rhabdoviridae. Devido à alta morbidade e mortalidade, a raiva é de grande importância epidemiológica. A prevenção da doença se dá pela vacinação. Sendo assim, o objetivo do estudo foi investigar a relação entre as características sociodemográficas da população brasileira e a vacinação de cães e gatos contra o vírus da raiva entre os anos de 2013 e 2019. Foram analisados dados das Pesquisas Nacionais de Saúde realizadas pelo Instituto brasileiro de Geografia e Estatística em 2013 e 2019, sendo obtidas informações acerca da imunização contra o vírus da raiva colhidas de domicílios que apresentavam animais de estimação no Brasil. Somente domicílios que possuíam cães e/ou gatos foram incluídos no estudo. Foram analisadas as seguintes variáveis: Habitantes de zonas rurais ou urbanas e cães e gatos vacinados por zona; região do Brasil e percentagem de cães e gatos vacinados; tipo de moradia e a relação com a quantidade de cães e gatos vacinados; renda familiar e a relação com a cobertura vacinal; nível de escolaridade e a relação com a quantidade de cães e gatos vacinados. No total, foram analisados 63.372 domicílios que possuíam cães e/ou gatos, com 78,45% dos cães e 59,53% dos gatos devidamente vacinados. A análise por regiões mostrou variações na taxa de vacinação. Na zona rural, o percentual de vacinação completa de cães e gatos foi menor que na zona urbana. O tipo de domicílio também desempenhou um papel importante, sendo observado que os tutores que moravam em apartamentos garantiam com mais frequência a imunização completa de seus animais. Em relação ao nível de instrução dos moradores nos domicílios, observou-se que, em média, quanto maior o nível de instrução, maior era a taxa de vacinação. Esses resultados destacam a importância de esforços contínuos para proteger a Saúde Única no Brasil por meio da vacinação eficaz contra a raiva.

References

Carnieli Jr, P., Castilho, J. G., Fahl, W. O., Véras, N. M. C., & Timenetsky, M. C. S. T. (2009). Genetic characterization of rabies virus isolated from cattle between 1997 and 2002 in an epizootic area in the state of São Paulo, Brazil. Virus Research, 144(1–2), 215–224. DOI: https://doi.org/10.1016/j.virusres.2009.05.001

Dias, R. A., Nogueira Filho, V. S., Goulart, C. S., Telles, I. C. O., Marques, G. H. F., Ferreira, F., et al. (2011). Modelo de risco para circulação do vírus da raiva em herbívoros no Estado de São Paulo, Brasil. Revista Panamericana de Salud Pública, 30(4), 370–376.

International Committee on Taxonomy of Viruses. (2009). ICTV Master species list 2009 — version 9. Retrieved from http://talk.ictvonline.org/files/ictv_documents/m/msl/1

Conselho Federal de Medicina Veterinária. (2009). Raiva: previna-se. A raiva mata. Retrieved from https://bvsms.saude.gov.br/bvs/dicas/198_raiva.html

Duarte, N. F. H., et al. (2021). Epidemiologia da raiva humana no estado do Ceará, 1970 a 2019. Epidemiologia e Serviços de Saúde, 30, e2020354. DOI: https://doi.org/10.1590/s1679-49742021000100010

Queiroz, L. H., et al. (2009). Perfil epidemiológico da raiva na região Noroeste do Estado de São Paulo no período de 1993 a 2007. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, 42, 9-14. DOI: https://doi.org/10.1590/S0037-86822009000100003

Teixeira, T. F., et al. (2008). Diagnóstico de raiva no Rio Grande do Sul, Brasil, de 1985 a 2007. Pesquisa Veterinária Brasileira, 28, 515-520. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-736X2008001000012

Gonçalves, N. S., Soares, P. S., & Santos, D. C. (2018). O panorama epidemiológico geral da raiva humana no Brasil com foco principal na região sul do país nos últimos anos. Revista de Epidemiologia e Controle de Infecção, 8(3), 268-275. DOI: https://doi.org/10.17058/reci.v8i3.11270

Suhett, W. G., Mendes, F. A., Guebarman, C. U., et al. (2013). Percepção e atitudes de proprietários quanto a vacinação de cães na região sul do estado do Espírito Santo – Brasil. Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, 50, 26-32. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2318-3659.v50i1p26-32

Tizard, I. R. (2014). Imunologia Veterinária: uma Introdução (9th ed.). Rio de Janeiro: Saunders Elsevier.

Brasil. Ministério da Saúde; Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. (2016). Manual de vigilância, prevenção e controle de zoonoses: normas técnicas e operacionais. Brasília, DF.

Pires, F. A. O., & Corrêa, F. G. (2020). Relevância e alcance dos protocolos de vacinação em cães. Estudo de caso da incidência de doenças infecciosas em cães no HVU Unicep: cinomose, parvovirose e leptospirose. Revista científica de Medicina Veterinária, Rio de Janeiro, Ed. 34 Ano XVII, p. 14.

Alves, L. G. da S. (2021). Importância da vacinação de cães em relação a parvovirose, cinomose e raiva.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. (2012). Política Nacional de Atenção Básica. Brasília: Ministério da Saúde. Departamento de Atenção Básica. (Série E. Legislação em Saúde), 110 p.

Brasil. Ministério da Saúde. (2022a). Raiva humana. Retrieved from https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/saude-de-a-a-z/r/raiva/raiva-humana

Brasil. Ministério da Saúde. (2022b). Cobertura vacinal de cães e gatos. Retrieved from https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/saude-de-a-a-z/r/raiva/cobertura-vacinal-de-caes-e-gatos

Brasil. Ministério da Saúde. (2022c). Raiva Animal. Retrieved from https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/saude-de-a-a-z/r/raiva/raiva-animal

Vargas, A., Romano, A. P. M., & Merchán-Hamann, E. (2019). Human rabies in Brazil: a descriptive study, 2000-2017. Epidemiologia e Serviços de Saúde, 28(2), e2018275. Epub 27 de junho de 2019. DOI: https://doi.org/10.5123/S1679-49742019000200001

Bourhy, H., Dautry-Varsat, A., Hotez, P. J., & Salomon, J. (2010). Rabies, still neglected after 125 years of vaccination. PLoS Neglected Tropical Diseases, 4(11), e839. DOI: https://doi.org/10.1371/journal.pntd.0000839

Amemiya, Y., Inoue, S., Maeda, K., & Nishiura, H. (2023). Epidemiological Associations between Rabies Vaccination and Dog Owner Characteristics. Vaccines, 11, 352. DOI: https://doi.org/10.3390/vaccines11020352

Premashthira, S., Suwanpakdee, S., Thanapongtharm, W., Sagarasaeranee, O., Thichumpa, W., Sararat, C., & Wiratsudakul, A. (2021). The Impact of Socioeconomic Factors on Knowledge, Attitudes, and Practices of Dog Owners on Dog Rabies Control in Thailand. Frontiers in Veterinary Science, 8, 699352. DOI: https://doi.org/10.3389/fvets.2021.699352

Wallace, R. M., Mehal, J., Nakazawa, Y., et al. (2017). The impact of poverty on dog ownership and access to canine rabies vaccination: results from a knowledge, attitudes and practices survey, Uganda 2013. Infectious Diseases of Poverty, 6, 97. DOI: https://doi.org/10.1186/s40249-017-0306-2

Secretaria de Vigilância em Saúde – SVS. (2019). Casos de Raiva Animal por Região Administrativa e Unidades Federadas. Brasil, 2019. Retrieved from https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/saude-de-a-a-z/r/raiva/imagens/atualizacoes-das-tabelas-de-casos-29-11-2022/tabela-9_2019.pdf

EDITORA STILO. (2022). Setorial Pet – Janeiro 2022. Retrieved from https://www.editorastilo.com.br/wp-content/uploads/2022/02/NEC-Connect_Setorial-PET-ESTUDO-MERCADO-PET-1.pdf

Zhang, H., Huang, J., Song, Y., Liu, X., Qian, M., Huang, P., Li, Y., Zhao, L., & Wang, H. (2022). Regulation of innate immune responses by rabies virus. Animal Model and Experimental Medicine, 5(5), 418-429. doi: 10.1002/ame2.12273. DOI: https://doi.org/10.1002/ame2.12273

Brasil (2022d). Raiva em herbívoros é fatal e pode ser prevenida com vacinação de rebanhos e controle da população de morcegos. https://www.gov.br/agricultura/pt-br/assuntos/noticias-2022/raiva-em-herbivoros-e-fatal-e-pode-ser-prevenida-com-vacinacao-de-rebanhos-e-controle-da-populacao-de-morcegos.

Downloads

Published

2023-10-02

How to Cite

Gheno, B. P., Lopes, T. S., Diesel, L. P., Streck, A. F., Gheno, F. P., Lunge, V. R., Soares, A. M., & Bos, A. J. G. (2023). COBERTURA VACINAL NO BRASIL EM COMBATE AO VÍRUS DA RAIVA EM CÃES E GATOS ASSOCIADA A FATORES SOCIODEMOGRÁFICOS ENTRE OS ANOS DE 2013 A 2019. Revista Contemporânea, 3(10), 16627–16642. https://doi.org/10.56083/RCV3N10-003

Issue

Section

Articles