SISTEMAS AGROFLORESTAIS: CONTRIBUIÇÕES PARA A SUSTENTABILIDADE AGRÍCOLA DE PROPRIEDADES FAMILIARES NO BIOMA MATA ATLÂNTICA

Authors

  • Eduardo de Sá Mendonça
  • Irene Maria Cardoso
  • Diego Mathias Natal da Silva
  • André Thomazini

DOI:

https://doi.org/10.56083/RCV3N11-107

Keywords:

Qualidade do Solo, Solo Tropical, Relevo Montanhoso, Agricultura Familiar

Abstract

A busca por agroecossistemas mais sustentáveis é o centro de uma série de trabalhos desenvolvidos por agricultores e pesquisadores nas montanhas do sudeste brasileiro inseridas no Bioma Mata Atlântica, um hotspot de biodiversidade. A região conta com muitas nascentes e pequenos cursos d’água, e é dominada por áreas declivosas, onde predominam solos com mineralogia de argila dominada por oxihidróxidos, alta saturação de alumínio e alta adsorção de fósforo. Nas encostas predominam pastagens e cafeeiros solteiros ou consorciados com culturas de subsistência. O uso dessas áreas de relevo acidentado não é coerente com as leis ambientais brasileiras, mas são fundamentais para a sobrevivência desses agricultores e a economia da região. Esses ambientes montanhosos sob uso agrícola são muito susceptíveis a erosão hídrica, carreando solo, matéria orgânica e nutrientes para fora do sistema, reduzindo a qualidade ambiental e capacidade de produção de alimentos da região. Neste contexto, a busca por formas de exploração agrícola com maior harmonia entre produção e conservação é fundamental. Com este enfoque, no começo da década de 1990, pequenos agricultores familiares em conjunto com organizações não governamentais, sindicatos dos trabalhadores rurais, institutos de pesquisa e universidades têm desenvolvido projetos de experimentação participativa com sistemas agroflorestais (SAFs) na região. As principais atividades agrícolas da região, café e pastagem, são compatíveis com a agrofloresta, e o foco dos trabalhos é gerar sistemas integrados baseados no desenvolvimento de sistemas agroecológicos. O uso das árvores objetiva controlar a erosão hídrica, incrementar a ciclagem de nutrientes e a produção de matéria orgânica, promovendo o incremento da biodiversidade, e a diversificação da produção de alimentos e bens para os agricultores. Em geral, a implantação de experimentos nas propriedades rurais é decidida coletivamente, com os agricultores tendo autonomia para desenhar seus SAFs e decidir quais espécies introduzir. A sistematização destas experiências é realizada em algumas propriedades com os agricultores experimentadores. Os trabalhos indicam que várias espécies diferentes de árvores são utilizadas, em sua maioria (70%) nativas. O principal critério para a introdução ou retirada das árvores está relacionada com a sua compatibilidade com o café e pastagem, considerando aspectos fitossantários e competição por água, luz e nutrientes. Outros critérios utilizados pelos agricultores para a escolha das árvores são a produção de biomassa; mão-de-obra requerida para poda e a própria arquitetura dos ramos; e a diversificação da produção proporcionada (alimentos, madeira e, ou lenha). Dados de compatibilidade e incompatibilidade das árvores com a cultura principal, número de árvores por hectare, época de podas, além de recomendações de técnicas diversas são produzidos e socializados com a comunidade da região e a comunidade científica. Dados econômicos dos experimentos indicam que, principalmente, a produção de café por área é igual ou menor nos SAFs, em relação ao cultivo solteiro de café, mas o retorno monetário deste agroecossistema tem sido maior devido ao menor custo de produção e maior oferta de outros produtos. Os resultados alcançados indicam que segundo os critérios de sustentabilidade (produtividade, resiliência/estabilidade, equidade e autonomia), os SAFs têm se mostrado sustentáveis e, portanto, recomendáveis para o manejo agroecológico desses solos da região montanhosa do Bioma Mata Atlântica. Adicionalmente a implantação dos SAFs constitui alternativa interessante para o sequestro de carbono, a produção de água e a amenização dos efeitos das mudanças climáticas.

References

CANNELL, M.G.R. Coffee Biol. 30: 257–263, 1983. DOI: https://doi.org/10.3136/nskkk1962.30.257

EFFGEN, T. A. M., PASSOS, R. R., ANDRADE, F.V., LIMA, J. S de S., REIS, E. F. & BORGES, E. N. Propriedades físicas do solo em função de manejos em lavouras de cafeeiro conilon. R. Ceres, 59:414-421, 2012. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-737X2012000300018

ESPÍRITO SANTO (Estado). Secretaria de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca. Plano estratégico de desenvolvimento da agricultura capixaba: novo Pedeag 2007-2025 – região do Caparaó. Vitória, 2008, 284 p.

FUNDAÇÃO SOS MATA ATLÂNTICA & INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE). Atlas dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica no período 2014-2015. São Paulo, 130 p. 2016.

GUIMARÃES, G.P., MENDONÇA, E.S., PASSOS, R.R., ANDRADE, F.V. Soil aggregation and organic carbon of oxisols under coffee in agroforestry systems. R. Bras. Ci. Solo, 38:278-287, 2014. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-06832014000100028

KOPPEN, W. Die Klimate der erde. Walter de Gruyter, Berlin, Leipzig, 1923. DOI: https://doi.org/10.1515/9783111491530

LANI, J. L. Estratificação de ambientes na Bacia do Rio Itapemirim, no sul do Estado do Espírito Santo. 1987. 114p. Dissertação (Mestrado em Solos e Nutrição de Plantas) - Viçosa, UFV. 1987.

LIU, Y., LIU, S., WANG, J., ZHU, X., ZHANG, Y., LIU, X. Variation in soil respiration under the tree canopy in a temperate mixed forest, central China, under different soil water conditions. Ecol. Res. 29 (2): 133–142, 2013. DOI: https://doi.org/10.1007/s11284-013-1110-5

MAIA, S. M. F., XAVIER, F. A. S., OLIVEIRA, T. S., MENDONÇA, E. S., FILHO, J. A. Impactos de sistemas agroflorestais e convencional sobre a qualidade do solo no semi-árido cearense. Revista Árvore, 30: 837–848, 2006. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-67622006000500018

MATOS, E.D.S., MENDONÇA, E. S., CARDOSO, I. M., LIMA, P.C., FREESE, D. Decomposition and nutrient release of leguminous plants in coffee agroforestry systems. Revista Brasileira de Ciência do Solo, 35:141–149, 2011. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-06832011000100013

NAIR, P.K.R., GORDON, A.M., MOSQUERA-LOSADA, M. R. Agroforestry. In: Jorgensen SE, Fath BD (eds) Encyclopedia of ecology, vol 1. Elsevier, Oxford, pp 101–110, 2008. DOI: https://doi.org/10.1016/B978-008045405-4.00038-0

PARRON, L. M. et al. Serviços ambientais em sistemas agrícolas e florestais do Bioma Mata Atlântica. Brasília: Embrapa, 2015. 370 p.

PEZARICO, C. R., VITORINO, A.C. T., MERCANTE, F. M., DANIEL, O. Indicadores de qualidade do solo em sistemas agroflorestais. Amazonian Journal of Agricultural and Environmental Sciences, 56:40–47, 2013. DOI: https://doi.org/10.4322/rca.2013.004

SANTOS, J.D. Influência de diferentes sistemas agrícolas nas propriedades físicas e químicas das camadas superficiais do solo. 2007. 78p. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Minas Gerais, Departamento de Geografia, São José Da Lapa, MG.

SILVA, D.M.N., HEITOR, L.V., CANDIDO, A.O., MORAES, B.S.A., SOUZA, G.S., ARAÚJO, J.B.S., MENDONÇA, E.S. Carbon balance in organic conilon coffee intercropped with tree species and banana. Revista Árvore 2020:44:e4421. DOI: https://doi.org/10.1590/1806-908820200000021

SOUZA, Z. M., ALVES, M. C., Propriedades químicas de um Latossolo Vermelho Distrófico de Cerrado sob diferentes usos e manejos. Revista Brasileira de Ciência do Solo, 27:133-139, 2003. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-06832003000100014

THOMAZINI, A., AZEVEDO, H.C., MENDONCA, E.S. Perdas de solo, água e nutrientes em sistemas conservacionistas e convencionais de café no sul

do estado do Espírito Santo. Revista Brasileira de Agroecologia,. 7: 150-159, 2012

THOMAZINI, A., MENDONCA, E.S., CARDOSO, I.M., GARBIN, M.L. SOC dynamics and soil quality index of agroforestry systems in the Atlantic rainforest of Brazil. Geoderma Regional, 5:15-24, 2015. DOI: https://doi.org/10.1016/j.geodrs.2015.02.003

VAAST, P., BERTRAND, B., PERRIOT, J.-J., GUYOT, B., GÉNARD, M. Fruit thinning and shade improve bean characteristics and beverage quality of coffee (Coffea arabica L.) under optimal conditions. J. Sci. Food Agric., 86 (2):197–204, 2006. DOI: https://doi.org/10.1002/jsfa.2338

Published

2023-11-17

How to Cite

Mendonça, E. de S., Cardoso, I. M., da Silva, D. M. N., & Thomazini, A. (2023). SISTEMAS AGROFLORESTAIS: CONTRIBUIÇÕES PARA A SUSTENTABILIDADE AGRÍCOLA DE PROPRIEDADES FAMILIARES NO BIOMA MATA ATLÂNTICA. Revista Contemporânea, 3(11), 22044–22058. https://doi.org/10.56083/RCV3N11-107

Issue

Section

Articles