OS ESTEREÓTIPOS SOBRE O GÊNERO FEMININO COMO INFLUÊNCIA NA DISPUTA DE GUARDA EM CASOS DE ALEGAÇÃO DE ALIENAÇÃO PARENTAL

Authors

  • Jhuly Jamaire Vitor Souza
  • Milene Motta Arouca
  • Glenda de Almeida Felipe
  • Markelle Ribeiro Bastos
  • Wollace Scantbelruy da Rocha

DOI:

https://doi.org/10.56083/RCV3N10-045

Keywords:

Alienação Parental, Estereótipo de Gênero, Psicologia, Justiça Brasileira

Abstract

O presente estudo apresenta a influência dos estereótipos do gênero feminino na dinâmica das alegações de alienação parental na justiça brasileira.  A Alienação Parental é um tema complexo a ser discutido, no entanto, associado à discussão do estereótipo de gênero nos leva a uma análise mais direcionada, quanto ao estereótipo, historicamente enraizado na sociedade, podem afetar a forma como os casos de alienação parental são percebidos e tratados no sistema jurídico. O principal objetivo do estudo é compreender a partir da psicologia como os estereótipos sobre o gênero feminino podem influenciar na dinâmica de alegação da alienação parental nos casos de disputa de guarda na justiça brasileira. Pretende-se apresentar o fenômeno da alienação parental no contexto da justiça brasileira, assim como, investigar a construção dos estereótipos de gênero e seus desdobramentos na história e nas relações parentais, como também identificar a percepção da psicologia diante dos estereótipos de gênero nos processos de alienação parental no Brasil. A metodologia que foi aderida para a realização deste estudo é a revisão bibliográfica de caráter exploratório, que proporciona a análise de artigos científicos, leis, livros que discorrem as diferentes perspectivas sobre Alienação Parental e a construção do Estereótipo ao longo da história. Dessa forma, a pesquisa leva aos profissionais da psicologia, do judiciário e a sociedade, a reflexões sobre o referido tema.

References

AGÊNCIA SENADO. Projeto que revoga Lei da Alienação Parental avança. 2023. Disponível em: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2023/08/16/lei-da-alienacao-parental-e-revogada-pela-cdh. Acesso em: 06 ago. 2023.

BASTERD, Mariana de Andrade Linhares. A subordinação civil das mulheres à família: estereótipos de gênero e seus reflexos nos direitos da família. Revista Direito e Gênero, 3. Ed. Rio de Janeiro, 2022. Disponível em: <https://www.emerj.tjrj.jus.br/revistas/genero_e_direito/edicoes/3_2022/pdf/MARIANA_DE_ANDRADE_LINHARES.pdf >. Acesso em: 19 ago. 2023.

BRANDÃO, Eduardo Ponte. Os problemas de gênero na alienação parental e na guarda compartilhada. In: Debatendo sobre alienação parental: Diferentes perspectivas. Conselho Federal de Psicologia. 1. ed. Brasília: CFP, 2019. P. 173.

BRANDÃO, Eduardo Ponte. AZEVEDO, Luciana Jaramillo Caruso de. Poder, Norma e Ideário na Lei da Alienação Parental. Psicologia: Ciência e Profissão. V. 43, E 249888, 1-14. 2023. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1982-3703003249888. Acesso em: 14 Set 2023.

BRITO, Leila Maria Torraca. SOUSA, Analicia Martins. Síndrome de Alienação Parental: Da teoria norte-americana à nova lei brasileira. Ed. 31. 2. Psicologia: Ciência e Profissão, 2011. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/pcp/a/H7w9kPHrY86XM9DXZLKvJtF/?format=pdf&lang=pt> Acesso em: 19 ago. 2023. DOI: https://doi.org/10.1590/S1414-98932011000200006

BRASIL. Constituição Federal. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, Senado, 2010. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12318.htm. Acesso em: 07 set. 2023.

CARVALHO, Vivian Morais Hermes Zuquim; FALEIROS, Carolina Oliveira. Prejuízos Emocionais Causados pela Alienação Parental, sob o viés sistêmico. In: WAQUIM, Bruna Barbieri. SALZER, Fernando. COPTTI, Líbera. (Coord.). Alienação Parental: Aspectos Multidisciplinares. 22. Ed. Curitiba, 2021. P. 142.

COLTRO, Beatriz Pires; PARAVENTI, Larissa; VIEIRA, Mauro Luíz. Narrativas sobre parentalidade: repercussões em práticas de avaliação psicológica no contexto jurídico sob enfoque do construcionismo social. In: SOARES, L. C. E. C. RAPIZO, L.R (ORG). Práticas e Saberes Psicológicos com Famílias em diferentes contextos. Clínica, comunidade, saúde e sistema de justiça. Curitiba: CRV, 2023.

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Resolução CFP nº 4/2022/GTEC/CG – Nota técnica sobre os impactos da lei nº 12.318/2010 na atuação das psicólogas e dos psicólogos. Disponível em: https://site.cfp.org.br/wp-content/uploads/2022/08/SEI_CFP-0698871-Nota-Tecnica.pdf. Acesso em: 09 de set. 2023.

Conselho Nacional de Justiça – CNJ; Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados — Enfam, 2021. 1. Protocolo de julgamento para julgamento com perspectiva de gênero, Brasil. Disponível em: https://www.cnj.jus.br/wp-content/uploads/2021/10/protocolo-18-10-2021-final.pdf. Acesso em: 09 ago. 2023.

CYSNE, Renata Nepomuceno. A ALIENAÇÃO PARENTAL É UMA QUESTÃO DE GÊNERO? In: WAQUIM, Bruna Barbieri. SALZER, Fernando. COPTTI, Líbera. (Coord.). Alienação Parental: Aspectos Multidisciplinares. 22. Ed. Curitiba, 2021. P. 61.

FERREIRA, Amanda de Matos. NETO, Antônio de Lucena Bittencourt. Síndrome da Alienação Parental, quais os seus efeitos e como combater. Revista Ibero-Americana de Humanidades, Ciências e Educação. São Paulo, v.9.n.04. ISSN -2675 –3375. Abr. 2023. Disponível em: https://periodicorease.pro.br/rease/article/view/9527/3719. Acesso em: 14 set. 2023. DOI: https://doi.org/10.51891/rease.v9i4.9527

GARDNER, Richard Alan. Legal and Psychotherapeutic to the Three Types of Parental Alienation Syndrome Families –When Psychiatry and Law Join Forces. Court Review, Spring, v. 28, n. 1, p. 14-21, 1991. Disponível em: http://www.fact.on.ca/Info/pas/gardnr01.htm. Acesso em: 23 Ago. 2023.

LIMA, Brenda Rodrigues. As consequências civis e psicossociais da Alienação Parental e o papel do Estado na proteção da criança e do adolescente. 2022. 32 F. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Direito) -Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2022.

LIMA, Camila. Maio de 1968: a primavera das mulheres. Jornal O Globo. Ed. 24 MAI 2018. Conteúdo Retirado In: oglobo.com.br. Acesso em: 05 de set. 2023.

MENDES, Josimar Antônio de Alcântara. Genealogia, pressupostos, legislações e aplicações da teoria de alienação parental: uma (re)visão crítica. In: Debatendo sobre alienação parental: diferentes perspectivas. Brasília: Conselho Federal de Psicologia, 2019. Disponível em: https://site.cfp.org.br/wp-content/uploads/2019/11/Livro-Debatendo-sobre-Alienacao-Parental-Diferentes-Perspectivas.pdf. Acesso em: 06 set. 2023.

MOREIRA, Lisandra Espídula; NATIVIDADE, Claúdia; OLIVEIRA, Renata Ghisleni de. “Isso foi soprado no ouvido dele”: acusações de alienação parental como silenciamento da violência contra as mulheres. In: SOARES, L. C. E. C; RAPIZO, L.R (ORG). Práticas e Saberes Psicológicos com Famílias em diferentes contextos. Clínica, comunidade, saúde e sistema de justiça. Curitiba: CRV, 2023.

NESRALA, Daniele Bellettato. THIBAU, Tereza Cristina Sorice Baracho. ALIENAÇÃO PARENTAL ESTATAL. Revista Brasileira de Direito Civil em Perspectiva. e-ISSN: 2526-0243. Salvador. v. 4. n. 1. p. 39 – 60. Jan/Jun. 2018. Disponível em: https://core.ac.uk/display/210567274?utm_source=pdf&utm_medium=banner&utm_campaign=pdf-decoration-v1. Acesso em: 13 set 2023. DOI: https://doi.org/10.26668/IndexLawJournals/2526-0243/2018.v4i1.4089

NUSK, João Pedro Fahion. GRIGORIEFF, Alexandre Garcia. Alienação parental: complexidades despertadas no âmbito familiar. Pensando famílias, 2015, vol.19, n.1. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?pid=S1679-494X2015000100007&script=sci_abstract. Acesso em 19 ago 2023.

OLIVEIRA, Amália Carmem Gonçalves. Síndrome da Alienação Parental e a Atuação do Psicólogo Educacional/Escolar. 2014. Disponível em: https://doi.org/10.1590/2175-353920150202966. Acesso em: 06 set. 2023. DOI: https://doi.org/10.1590/2175-353920150202966

OLIVEIRA, G. F; SANTOS, J. D. F. DOS. Lei de Alienação Parental e o estereótipo de gênero da mulher vingativa. ISSN: 1657-5830 Vol. 22, Nº 16. 2022. Disponível em: http://www.conjecturas.org/index.php/edicoes/article/view/2037/1473. Acesso em: 19 ago. 2023. DOI: https://doi.org/10.53660/CONJ-2037-MP28

OLIVEIRA. L. P. A Lei da Alienação Parental: Uma Forma Institucionalizada de Violência Contra a Mulher. Universidade Presbiteriana Mackenzie. São Paulo. 2022. Disponível em: file:///C:/Users/techlog/Desktop/LUIZA%20PALMA%20DE%20OLIVEIRA%20(1). pdf. Acesso em: 18 ago. 2023.

PIRES, Camila. Termo “Alienação Parental” precisa de rigor científico. Portal de divulgação científica do Instituto de Psicologia da USP (IPUSP). Ed. Fev. 2023. Disponível em: sites. usp.br/psicousp/termo-alienacao-parental-precisa-de-rigor-cientifico-diz-pesquisadora-da-usp. Acesso em: 10 Set 2023.

POLITIZE. A história do direito das mulheres. Ed. Mar. 2021. Disponível em:: https://www.politize.com.br/equidade/blogpost/historia-dos-direitos-das-mulheres Acesso em: 19 ago. 2023.

RODRIGUES, Paulo Jorge. O Trabalho feminino durante a Revolução Industrial. UNESP - Araraquara, 2018.

SANTOS, R. S; VENTURA, R. M. Síndrome da alienação parental: o papel da perícia psicológica no processo judicial. Revista brasileira de criminalística. ISSN 2237-9293. v. 12, n.4, p.138-142, 2023. Disponível em: http://dx.doi.org/10.15260/rbc.v12i4.407 acesso em: 14 set 2023. DOI: https://doi.org/10.15260/rbc.v12i4.407

SAMPAIO, Darli de Fátima; CANDIOTTO, Jaci de Fátima Souza; PILLA, Maria Cecília Barreto Amorim. Gênero, Violência e Direitos Humanos. In: LIMA, C. B.; GUEBERT, M. C. C. [Org.]. Teorias dos direitos humanos em perspectiva interdisciplinar. Curitiba/PR: PUCPRess, 2016. P. 215-247.

SEVERI, Fabiana Cristina. Justiça em uma perspectiva de gênero: elementos teóricos, normativos e metodológicos. Revista Digital de Direito Administrativo, v.3, Ed 3. São Paulo, 2016. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rdda/article/view/119320. Acesso em: 19 ago. 2023. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2319-0558.v3i3p574-601

SOUSA, Analicia Martins. Alegações de Alienação Parental: uma revisão sobre a jurisprudência brasileira. In: ROCHA, Dourado Isabela. Alienação Parental: Revisão da literatura empírica brasileira. Revista dos Estudantes de Direito da Universidade de Brasília, [S. l.], v. 19, n. 1, p. 147–168, 2023. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/redunb/article/view/44909. Acesso em: 09 set. 2023.

TEODÓSIO, Gabriela Maria et al. O feminino na idade média, seu lugar na historiografia e a herança para a contemporaneidade. Anais VII CONEDU - Edição Online. Campina Grande: Realize Editora, 2020. Disponível em: <https://editorarealize.com.br/artigo/visualizar/69034>. Acesso em: 19 ago. 2023.

TRESPACH, R. Histórias não (ou mal) contadas: Segunda Guerra Mundial. 1.Ed. Rio de Janeiro: Harper Collins, 2017.

TICIANELLI, Priscila Bellusci Pereira. Diferença entre as expressões “Alienação Parental” e “Síndrome de Alienação Parental”. In: WAQUIM, Bruna Barbieri. SALZER, Fernando. COPTTI, Líbera. (Coord.). Alienação Parental: Aspectos Multidisciplinares. 22. Ed. Curitiba, 2021. P. 90.

VEIGA, Camila Valadares de; SOARES, Laura Cristina Eiras Coelho e CARDOSO, Fernanda Simplício. Alienação parental nas varas de família: avaliação psicológica em debate. Arq. Bras. psicol. [online]. 2019, vol.71, n.1, p. 68-84. ISSN 1809-5267. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo. php?script=sci_abstract&pid=S1809-52672019000100006. Acesso em: 11 set. 2023.

WOLTZ. DÉBORA DOS SANTOS. Projeto de Lei nº 10639/2018: uma consequência do total desconhecimento sobre a Lei nº 12.318 de 2010. Revista do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro nº 73, jul./set. 2019. Disponível em:https://www.mprj.mp.br/documents/20184/1473819/D%C3%A9bora+dos+Santos+Woltz.pdf acesso em: 07 set. 2023.

Published

2023-10-09

How to Cite

Souza, J. J. V., Arouca, M. M., Felipe, G. de A., Bastos, M. R., & da Rocha, W. S. (2023). OS ESTEREÓTIPOS SOBRE O GÊNERO FEMININO COMO INFLUÊNCIA NA DISPUTA DE GUARDA EM CASOS DE ALEGAÇÃO DE ALIENAÇÃO PARENTAL. Revista Contemporânea, 3(10), 17452–17473. https://doi.org/10.56083/RCV3N10-045

Issue

Section

Articles