COBOGÓ: DESENVOLVIMENTO DE ELEMENTO DE PROTEÇÃO AUXILIAR PARA ENVOLTÓRIA DE FACHADAS

Authors

  • Anna Alice Leal Barbosa da Cruz
  • Sheila Cordeiro Mota
  • José Carlos Calado Sales Júnior

DOI:

https://doi.org/10.56083/RCV3N8-184

Keywords:

Cobogó, Conforto Térmico, Ecodesign

Abstract

O presente artigo científico tem como objetivo desenvolver o aprimoramento do cobogó cerâmico, uma solução arquitetônica tradicional brasileira, visando a melhoria do conforto na envoltória de fachadas.  A motivação deste trabalho reside na necessidade de enfrentar os desafios impostos pelas condições climáticas cada vez mais extremas, buscando soluções sustentáveis e eficientes para garantir um ambiente mais confortável e reduzir o consumo de energia. Inspirados na metodologia inovadora do renomado artista e designer Wucius Wong, foram desenvolvidas peças de cobogó cerâmico com uma abordagem que considera a integração de elementos tradicionais com conceitos modernos do ecodesign e conforto térmico. A metodologia adotada envolveu a análise de padrões geométricos, a utilização de cores reflexivas e a exploração de formas que otimizam a ventilação natural. Esse estudo oferece uma perspectiva inovadora para o uso do cobogó cerâmico, enfatizando sua aplicação como uma solução sustentável para melhorar o conforto térmico em edificações. A metodologia inspirada em Wucius Wong proporcionou uma abordagem criativa e eficiente, contribuindo para o desenvolvimento de projetos arquitetônicos que favorecem o bem-estar dos ocupantes e o uso consciente da energia. A pesquisa abre caminho para futuras investigações e aplicações práticas do aprimoramento do cobogó cerâmico em diferentes contextos arquitetônicos e climáticos.

References

BRUAND, Y. (2002). ARQUITETURA CONTEMPORÂNEA NO BRASIL. 4. ed. São Paulo: Perspectiva.

CORDEIRO, A. (2018). Dissertação (mestrado) - Instituto de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo. O uso de cobogós como segunda pele em edifícios de escritórios: análise do desempenho lumínico de diferentes geometrias. São Carlos.

Cordeiro, A. C. (2018). O uso de cobogós como uma segunda pele em edificios de escritórios: análise de desempenho lumínico de diferentes geometrias. São Carlos.

KRONBAUER, G., & GUBERT, M. L. (09 de maio de 2021). COBOGÓ FLUIDO: PERSPECTIVAS PARA PENSAR SOBRE UM NOVO CONCEITO. BRAZILIAN JOURNAL OF DEVELOPMENT, p. 3.

MIRANDA, M. A., CAMACHO, D., BESSA, S. A., & SACTH, H. M. (3 a 6 de SETEMBRO de 2019). Breve histórico do uso e os aspectos técnicos dos elementos vazados na arquitetura brasileira nos últimos 20 anos. 3º CONGRESSO INTERNACIONAL DE HISTÓRIA DA CONSTRUÇÃO LUSO-BRASILEIRA.

PINTO, H. R., CARDOSO, A. R., QUEIROZ, N., & SOUZA, J. P. (2015). O desenvolvimento de elementos de proteção de fachada responsivos: explorando cobogó. SIGRADI, 520. DOI: https://doi.org/10.5151/despro-sigradi2015-100138

SEGAWA, H. (2002). ARQUITETURAS NO BRASIL 1900-1990. São Paulo: EdUsp.

WONG, W., THEVENET, A. H., & MIRALLES, R. E. (2014). Fundamentos del diseño. SL: Gustavo Gili.

Published

2023-08-31

How to Cite

da Cruz, A. A. L. B., Mota, S. C., & Sales Júnior, J. C. C. (2023). COBOGÓ: DESENVOLVIMENTO DE ELEMENTO DE PROTEÇÃO AUXILIAR PARA ENVOLTÓRIA DE FACHADAS. Revista Contemporânea, 3(8), 13326–13340. https://doi.org/10.56083/RCV3N8-184

Issue

Section

Articles