SEQUELAS CLÍNICAS DE UMA SÍNDROME NEUROVASCULAR EM PACIENTES IDOSOS

Authors

  • Yaroslav Wladmir Lopes Popoff
  • Tainá Rodrigues Toqueton
  • Igor Costa Santos
  • Anna Camila Baioto Pina Reis
  • Flávia Gorski Junqueira Paiva
  • Ana Carolina Espindula Pereira
  • Fernanda de Queiroz Albuquerque
  • Maria Cecilia Maranhão Ribeiro
  • Yan Victor de Amorim Dutra
  • Kamilla Kristina Faleiros Sá Gomes de Almeida

DOI:

https://doi.org/10.56083/RCV3N8-129

Keywords:

Síndrome Neurovascular, Acidente Vascular Cerebral, Hemorragia Cerebral, Isquemia Cerebral, Sequelas Clínicas, Idosos

Abstract

Introdução: A síndrome neurovascular, caracterizada por alterações cerebrovasculares, é uma condição que afeta significativamente a população idosa. Essa síndrome abrange diversas patologias, como acidente vascular cerebral (AVC), hemorragias cerebrais e isquemias, sendo um importante problema de saúde pública. A incidência dessas condições aumenta com a idade, tornando-se uma das principais causas de morbidade e mortalidade em pacientes idosos. As sequelas clínicas decorrentes dessa síndrome são amplamente variáveis, afetando aspectos cognitivos, motores e funcionais dos pacientes. Nesse contexto, é essencial realizar uma revisão sistemática da literatura para compreender as principais sequelas clínicas e sua evolução no contexto do envelhecimento, a fim de aprimorar o conhecimento médico e promover estratégias de prevenção e tratamento mais efetivas. Objetivo: analisar e sintetizar os principais estudos disponíveis na literatura científica que abordam as sequelas clínicas de uma síndrome neurovascular em pacientes idosos. Buscaremos identificar os principais tópicos relacionados às alterações cognitivas, motoras e funcionais, bem como entender a evolução dessas sequelas ao longo do tempo após o evento cerebrovascular. Além disso, pretendemos investigar intervenções e abordagens terapêuticas que possam melhorar a qualidade de vida desses pacientes e fornecer insights relevantes para orientar futuras pesquisas. Metodologia: foi utilizado o checklist PRISMA (Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses) para garantir a qualidade metodológica. As bases de dados PubMed, Scielo e Web of Science serão pesquisadas de forma abrangente, utilizando os seguintes descritores: "síndrome neurovascular", "acidente vascular cerebral", "hemorragia cerebral", "isquemia cerebral", "sequelas clínicas" e "idosos". Foram incluídos estudos publicados em inglês, português e espanhol, que investigam as sequelas clínicas em pacientes idosos após um evento neurovascular. Artigos originais, revisões sistemáticas, meta-análises e estudos prospectivos ou retrospectivos serão considerados para análise. Resultados: Os resultados desta revisão sistemática selecionaram 12 artigos e indicaram que as sequelas clínicas após um evento neurovascular em pacientes idosos são multifacetadas. Em relação às alterações cognitivas, a demência vascular foi identificada como uma complicação significativa em alguns pacientes. Distúrbios motores, como hemiparesia e dificuldades na marcha, também foram comuns. Além disso, as limitações funcionais impactaram a autonomia e a independência dos pacientes, levando a uma diminuição na qualidade de vida. Observou-se que a recuperação funcional variou amplamente entre os pacientes e pareceu estar relacionada à extensão e à localização do evento cerebrovascular. Conclusão: A síndrome neurovascular em pacientes idosos apresenta uma série de sequelas clínicas que afetam profundamente a saúde e a funcionalidade desses indivíduos. A revisão sistemática da literatura permitiu uma compreensão abrangente das alterações cognitivas, motoras e funcionais após um evento cerebrovascular em idosos. Esses achados reforçam a importância de estratégias de prevenção e tratamento efetivas para minimizar as sequelas e melhorar o prognóstico desses pacientes. A identificação de intervenções terapêuticas promissoras pode subsidiar decisões clínicas mais embasadas, proporcionando melhores resultados na reabilitação e na qualidade de vida dos pacientes afetados por essa síndrome. No entanto, são necessárias mais pesquisas para aprofundar o conhecimento sobre esse tema e desenvolver abordagens mais personalizadas e direcionadas ao paciente idoso.

References

Ohman JW, Thompson RW. Thoracic Outlet Syndrome in the Overhead Athlete: Diagnosis and Treatment Recommendations. Curr Rev Musculoskelet Med. 2020;13(4):457-471. doi:10.1007/s12178-020-09643- DOI: https://doi.org/10.1007/s12178-020-09643-x

Besnier F, Bérubé B, Malo J, et al. Cardiopulmonary Rehabilitation in Long-COVID-19 Patients with Persistent Breathlessness and Fatigue: The COVID-Rehab Study. Int J Environ Res Public Health. 2022;19(7):4133. Published 2022 Mar 31. doi:10.3390/ijerph19074133 DOI: https://doi.org/10.3390/ijerph19074133

Gordon LB, Brown WT, Collins FS. Hutchinson-Gilford Progeria Syndrome. In: Adam MP, Mirzaa GM, Pagon RA, et al., eds. GeneReviews®. Seattle (WA): University of Washington, Seattle; December 12, 2003.

Ramos-Cejudo J, Wisniewski T, Marmar C, et al. Traumatic Brain Injury and Alzheimer's Disease: The Cerebrovascular Link. EBioMedicine. 2018;28:21-30. doi:10.1016/j.ebiom.2018.01.021 DOI: https://doi.org/10.1016/j.ebiom.2018.01.021

Ahmad SJ, Feigen CM, Vazquez JP, Kobets AJ, Altschul DJ. Neurological Sequelae of COVID-19. J Integr Neurosci. 2022;21(3):77. doi:10.31083/j.jin2103077 DOI: https://doi.org/10.31083/j.jin2103077

Charidimou A, Boulouis G, Gurol ME, et al. Emerging concepts in sporadic cerebral amyloid angiopathy. Brain. 2017;140(7):1829-1850. doi:10.1093/brain/awx047 DOI: https://doi.org/10.1093/brain/awx047

Chen SP, Wang SJ. Pathophysiology of reversible cerebral vasoconstriction syndrome. J Biomed Sci. 2022;29(1):72. Published 2022 Sep 21. doi:10.1186/s12929-022-00857-4 DOI: https://doi.org/10.1186/s12929-022-00857-4

Smith EE, Charidimou A, Ayata C, Werring DJ, Greenberg SM. Cerebral Amyloid Angiopathy-Related Transient Focal Neurologic Episodes. Neurology. 2021;97(5):231-238. doi:10.1212/WNL.0000000000012234 DOI: https://doi.org/10.1212/WNL.0000000000012234

Joseph P, Singh I, Oliveira R, et al. Exercise Pathophysiology in Myalgic Encephalomyelitis/Chronic Fatigue Syndrome and Postacute Sequelae of SARS-CoV-2: More in Common Than Not? [published online ahead of print, 2023 Apr 11]. Chest. 2023;S0012-3692(23)00502-0. doi:10.1016/j.chest.2023.03.049 DOI: https://doi.org/10.1016/j.chest.2023.03.049

Shi X, Zhang X, Xu L, Xu Z. Neurovascular compression syndrome:Trigeminal neuralgia, hemifacial spasm, vestibular paroxysmia, glossopharyngeal neuralgia, four case reports and review of literature. Clin Neurol Neurosurg. 2022;221:107401. doi:10.1016/j.clineuro.2022.107401 DOI: https://doi.org/10.1016/j.clineuro.2022.107401

Gholami M, Safari S, Ulloa L, Motaghinejad M. Neuropathies and neurological dysfunction induced by coronaviruses. J Neurovirol. 2021;27(3):380-396. doi:10.1007/s13365-021-00977-x DOI: https://doi.org/10.1007/s13365-021-00977-x

Rasile M, Lauranzano E, Mirabella F, Matteoli M. Neurological consequences of neurovascular unit and brain vasculature damages: potential risks for pregnancy infections and COVID-19-babies. FEBS J. 2022;289(12):3374-3392. doi:10.1111/febs.16020 DOI: https://doi.org/10.1111/febs.16020

Published

2023-08-21

How to Cite

Popoff, Y. W. L., Toqueton, T. R., Santos, I. C., Reis , A. C. B. P., Paiva, F. G. J., Pereira, A. C. E., Albuquerque, F. de Q., Ribeiro, M. C. M., Dutra, Y. V. de A., & de Almeida, K. K. F. S. G. (2023). SEQUELAS CLÍNICAS DE UMA SÍNDROME NEUROVASCULAR EM PACIENTES IDOSOS. Revista Contemporânea, 3(8), 12241–12255. https://doi.org/10.56083/RCV3N8-129

Issue

Section

Articles