SMART CITIES: UM ESTUDO DE CASO NO MUNICÍPIO DE ILHABELA-SP

Authors

  • Verônica Abreu Costa Lima de Abreu
  • Silas Sérgio dos Santos Coelho Junior
  • Daniel Roberto Jung

DOI:

https://doi.org/10.56083/RCV3N8-096

Keywords:

Cidades Inteligentes, Tecnologias da Informação e Comunicação, Transporte Público

Abstract

Este artigo tem como objetivo discutir a experiência da cidade de Ilhabela relativamente a materialização do conceito de cidades inteligentes. Para isso a metodologia abordada foi de caráter qualitative, baseada em estudos de caso, coleta de dados em fontes primárias e secundárias realizada em 2019. Os resultados mostram que a implantação de novas TICs (Tecnologias da Informação e Comunicação) na prestação dos serviços de transporte público proporcionou maior interatividade com a população trazendo maior eficiência no serviço prestado. Esse trabalho pretendia contribuir com pesquisas e discuções sobre a gestão de espaços urbanos, trazendo o conceito de cidades inteligentes como uma prática viável para o desenvolvimento sustentável das cidades brasileiras.

References

ALAWADHI, S. et al. Building Understanding of Smart City Initiatives. In: Electronic Government. Springer Berlin/Heidelberg, p. 40-53, 2012. DOI: https://doi.org/10.1007/978-3-642-33489-4_4

COSTA, Carlos Augusto. Cidades inteligentes e big data. Cidades inteligentes e mobilidade urbana. Cadernos FGV Projetos. Ano 9, nº 24. 2014. p. 66-73.

MOREIRA, Cristiano Ramos. Uma iniciativa de smart city: o estudo de caso do Centro Integrado de Comando de Porto Alegre. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Dissertação de mestrado. Porto Alegre, 2015.

WEISS, Marcos Cesar. Cidades inteligentes como nova prática para o gerenciamento dos serviços e infraestruturas urbanos: estudo de caso da cidade de Porto Alegre. Centro Universitário da FEI. Dissertação de mestrado. São Paulo, 2013.

LEMOS, André. De que forma as novas tecnologias — como a computação em nuvem, o Big Data e a Internet das Coisas — podem melhorar a condição de vida nos espaços urbanos?. GVEXECUTIVO, 2013.

KOMNINOS, N. (2014). The Age of Intelligent Cities: Smart Environments and Innovation-for-all Strategies. Routledge. DOI: https://doi.org/10.4324/9781315769349

KON, Fabio, SANTANA, Eduardo Felipe Zambom, CIDADES INTELIGENTES: conceitos, plataformas e desafios. CSBC. 2016.

ABDOULLAEV, A., A Smart World: A Development Model for Intelligent Cities - [The Trinity World of Trinity Cities], EIS Encyclopedic Intelligent Systems/SMART GROUP, 2011.

NAM, T.; PARDO, T. A., Smart City as Urban Innovation: Focusing on Management, Policy, and Context, 5th International Conference on Theory and Practice of Electronic Governance, Tallinn, Estonia, pp. 185-194, 2011. DOI: https://doi.org/10.1145/2072069.2072100

DAMERI, R. P. (2013). Searching for smart city definition: a comprehensive proposal. International Journal of Computers & Technology. DOI: https://doi.org/10.24297/ijct.v11i5.1142

COHEN, G., SOLOMON, I., & NIJKAMP, P. (2002). Information- Comunications Technologies (ICT) and Transport: Does Knowledge underpin policy? Telecommunications Policy, 26(1-2), 31-52. http://doi.org/10.1016/S0308-5961(01)00052-0. DOI: https://doi.org/10.1016/S0308-5961(01)00052-0

RAZAGHI, M. An Action Research Inquiry into Professional Training and Development for Addressing Complex Urban Problems. [s.l.] École Polytechnique Fédérale de Lausanne, 2016.

GUIMARÃES, José de Araújo. Cidades inteligentes: Proposta de um Modelo Brasileiro Multi-ranking de Classificação. Universidade de São Paulo, 2018.

Published

2023-08-14

How to Cite

de Abreu, V. A. C. L., Coelho Junior, S. S. dos S., & Jung, D. R. (2023). SMART CITIES: UM ESTUDO DE CASO NO MUNICÍPIO DE ILHABELA-SP. Revista Contemporânea, 3(8), 11669–11686. https://doi.org/10.56083/RCV3N8-096

Issue

Section

Articles