O CONSERVADORISMO MODERNO ENQUANTO RESPOSTA AO DESEJO REVOLUCIONÁRIO DE DESTRUIÇÃO DAS INSTITUIÇÕES: UMA CRÍTICA COERENTE?

Authors

  • Raoni Marques Oliveira

DOI:

https://doi.org/10.56083/RCV3N8-164

Keywords:

Pensamento Revolucionário, Destruição das Instituições, Edmund Burke, Conservadorismo Moderno, Reacionarismo

Abstract

Este artigo propõe-se a estudar o pensamento conservador moderno, a fim de verificar se a sua crítica ao desejo revolucionário de destruição das instituições é coerente em um contexto pós-revolucionário. Parte-se da análise do pensamento de Edmund Burke, precursor do conservadorismo moderno, em especial sua crítica à necessidade de destruição institucional que marca o pensamento revolucionário. Em seguida, passa-se a examinar outros autores antirrevolucionários, posteriores a Burke, no que diz respeito a essa questão específica, dividindo tais autores em reacionários e conservadores propriamente ditos. O reacionarismo, ao idealizar a ordem pré-revolucionária, rejeitar totalmente as mudanças trazidas pela revolução e defender uma resposta radical a ela, reveste-se do mesmo desejo de destruição das instituições, de modo a aproximar-se do pensamento revolucionário. Por outro lado, o conservadorismo mais próximo a Burke rechaça utopias, é realista e guia-se pela prudência, razão pela qual não defende qualquer tipo de ruptura radical, mesmo em sociedades pós-revolucionárias. Chega-se à conclusão de que não há incoerência em ser conservador em um contexto pós-revolucionário, pois não se defenderá a destruição completa das instituições “contaminadas” pela revolução, mas sim a retomada das boas tradições, pelos mecanismos institucionais.

References

BARBOSA, Eduardo Ubaldo. O momento Burke: notas para a história de um Iluminismo contra-revolucionário. Em Tempo de Histórias, Brasília, n. 26, p. 49-65, jan./jul. 2015. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/emtempos/article/view/14802. Acesso em: 16 nov. 2022. DOI: https://doi.org/10.26512/emtempos.v0i26.14802

BUENO, Roberto. A crítica ao liberalismo na teologia política de Donoso Cortés. In: Lafayette Pozzoli; Enoque Feitosa Sobreira Filho; Jose Alcebíades de Oliveira Junior (Coord.). Filosofia do Direito I. Florianópolis: FUNJAB, 2013, p. 108-137. Disponível em: http://www.publicadireito.com.br/artigos/?cod=3cdb82a314eeef6d. Acesso em: 12 nov. 2022.

BUENO, Roberto. Carl Schmitt, leitor de Donoso Cortés: ditadura e exceção em chave teológico-medieval. Revista Brasileira de Estudos Políticos, Belo Horizonte, v. 105, p. 453-494, jul./dez. 2012. Disponível em: https://doi.org/10.9732/P.0034-7191.2012v105p453. Acesso em: 12 nov. 2022. DOI: https://doi.org/10.9732/P.0034-7191.2012v105p453

BURKE, Edmund. Reflexões sobre a Revolução em França. Tradução: Renato de Assumpção Faria, Denis Fontes de Souza Pinto e Carmen Lidia Richter Ribeiro Moura. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1982.

CARDOSO, Felipe Gava. Notas sobre Tocqueville: conservadorismo e método. Agenda Política, São Carlos, v. 3, n. 1, p. 155-182, 2015. Disponível em: https://doi.org/10.31990/10.31990/agenda.ano.volume.numero. Acesso em: 13 nov. 2022.

CONSTANT, Benjamin. Da força do governo atual da França e da necessidade de apoiá-lo. Tradução: Josemar Machado de Oliveira. Revista de História, São Paulo, n. 145, p. 181-230, 2001. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2316-9141.v0i145p181-230

CONSTANT, Benjamin. Da liberdade dos antigos comparada à dos modernos. Tradução: Loura Silveira. In: Marcel Gauchet (Org.). De la Liberté cliez les Modernes. Paris: Le Livre de Poche, Collection Pluriel, 1980.

COUTINHO, João Pereira. As ideias conservadoras explicadas a revolucionários e reacionários. 5ª reimpr. da 1ª ed. de 2014. São Paulo: Três Estrelas, 2016.

DONOSO CORTÉS, Juan. Discursos políticos. Madrid: Editorial Tecnos, 2002.

DONOSO CORTÉS, Juan. Ensayo sobre el catolicismo, el liberalismo y el socialismo. Salamanca: Ediciones Almar, 2003.

MOTTA, Rodrigo Patto Sá. Paradoxos do pensamento contra-revolucionário: Joseph de Maistre. Locus: Revista de História, Juiz de Fora, v. 7, n. 2, p. 131-150, 2001. Disponível em: https://periodicoshomolog.ufjf.br/index.php/locus/article/view/20547. Acesso em: 12 nov. 2022.

TOCQUEVILLE, Alexis de. O Antigo Regime e a Revolução. Tradução: Yvonne Jean. 4ª ed. Brasília: Editora Universidade Brasília, 1997.

TOCQUEVILLE, Alexis de. The Recollections of Alexis de Tocqueville. Edited by The Comte de Tocqueville and now first translated into english by Alexander Teixeira de Mattos. New York: The Macmillan Co., 1896.

VIERECK, Peter. Conservative thinkers: from John Adams to Winston Churchill. New Brunswick: Transaction Publishers, 2006.

Published

2023-08-25

How to Cite

Oliveira, R. M. (2023). O CONSERVADORISMO MODERNO ENQUANTO RESPOSTA AO DESEJO REVOLUCIONÁRIO DE DESTRUIÇÃO DAS INSTITUIÇÕES: UMA CRÍTICA COERENTE?. Revista Contemporânea, 3(8), 12918–12938. https://doi.org/10.56083/RCV3N8-164

Issue

Section

Articles