EMERGÊNCIA: O ESTRESSE OCUPACIONAL ENFRENTADO POR ENFERMEIROS

Authors

  • Letícia Inácio Vieira
  • Nathalia Machado Lemos Teixeira
  • Yasmin Fialho Galdino
  • Clarissa Ferreira Pontual de Oliveira
  • Davison Pereira
  • Maria Eduarda Loyola Xavier
  • Natália Eugenia de Miranda Lima
  • Renata Martins da Silva Pereira

DOI:

https://doi.org/10.56083/RCV3N8-152

Keywords:

Emergência, Enfermeiros, Estresse Ocupacional

Abstract

Este estudo tratou do discurso de enfermeiros que atuam em uma instituição hospitalar acerca do estresse ocupacional no setor de emergência. Teve como objetivos: analisar o discurso de enfermeiros que atuam na emergência acerca do estresse ocupacional e identificar os fatores geradores de estresse junto a enfermeiros que atuam nesse setor. Estudo de caráter descritivo que utilizou uma abordagem qualitativa. O estudo foi realizado em um hospital público de média e alta complexidade, no município de Volta Redonda (RJ). Foram sujeitos da pesquisa enfermeiros que atuam no setor de emergência. Aplicou-se questionários com 3 perguntas abertas. Os resultados da pesquisa nos permitiram perceber que na visão de enfermeiros emergencistas, o estresse ocupacional gerado nesse setor se dá devido à sobrecarga de trabalho e se agravou com a pandemia do Covid 19. Observou-se ainda que os enfermeiros citaram como principais fatores geradores de estresse: a falta de recursos materiais e insumos, o déficit de pessoal de enfermagem e a superlotação do setor devido à alta demanda de pacientes. E que as consequências geradas pelo estresse ocupacional são várias, dentre elas destaca-se: as dificuldades de relacionamento na equipe, o adoecimento físico e psíquico dos membros da equipe de enfermagem. Concluiu-se que o estresse ocupacional tem gerado grande preocupação para os gestores na área da saúde e que entre os profissionais de saúde com maior exposição a esse estresse, os enfermeiros encontram-se como os mais afetados.

References

BELLUCI JÚNIOR, J. A.; MATSUDA, L. M. Construção e validação de instrumento para avaliação do Acolhimento com Classificação de Risco. Rev. Bras. Enferm., v. 65, n. 5, out. 2012. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-71672012000500006. Disponível em: https://www.scielo.br/j/reben/a/DwT8nJtQs6YkXGZt3yBmR4F/?lang=pt. Acesso em: 12 jan. 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-71672012000500006

BISSOLI, A. Depressão no profissional de enfermagem: reflexos na assistência prestada. Orientador: Jessica Sousa Vale. Ariquemes: FAEMA, 2017, p. 41. Trabalho de Conclusão de Curso (bacharel em enfermagem), Faculdade de Educação e Meio Ambiente, Ariquemes, 2017. Disponível em: https://repositorio.faema.edu.br/bitstream/123456789/1173/1/BISSOLI%2c%20A%20%20DEPRESS%c3%83O%20NO%20PROFISSIONAL%20DE%20ENFERMAGEM%20REFLEXOS%20NA%20ASSIST%c3%8aNCIA%20PRESTADA.pdf. Acesso em: 12 ago. 2022.

CALIL, A. M.; PARANHOS, W. Y. O Enfermeiro e as Situações de Emergência. São Paulo: Atheneu, 2010.

CARLOTTO, M. S. et al. Psicologia da saúde ocupacional: uma revisão integrativa. Aletheia, v. 50, n. 1-2, p. 143-153, 2017. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1413-03942017000100013. Acesso em: 3 mar. 2021.

ELDER, E. et al. Emergency clinician perceptions of occupational stressors and coping strategies: A multi-site study. Int. Emerg. Nurs., v. 45, p. 17-24, jul. 2019. DOI: https://doi.org/10.1016/j.ienj.2019.03.006. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/31053392/. Acesso em: 18 ago. 2022. DOI: https://doi.org/10.1016/j.ienj.2019.03.006

FERREIRA, L. A. L.; FERREIRA, L. L. DEPRESSÃO NO TRABALHO DA ENFERMAGEM: REVISÃO DE LITERATURA. Universitas: Ciências da Saúde, v. 13, n. 1, 2015. DOI: https://doi.org/10.5102/ucs.v13i1.2849. Disponível em: https://www.publicacoesacademicas.uniceub.br/cienciasaude/article/view/2849. Acesso em: 15 ago. 2022. DOI: https://doi.org/10.5102/ucs.v13i1.2849

GIGLIO-JACQUEMOT, A. Urgências e emergências em saúde: perspectivas de profissionais e usuários. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2005. DOI: https://doi.org/10.7476/9788575413784

GOMES, R. K.; OLIVEIRA, V. B. Depressão, ansiedade e suporte social em profissionais de enfermagem. Bol. Psicol., São Paulo, v. 63, n. 138, jun. 2013. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0006-59432013000100004. Acesso em: 18 jan. 2022.

GUIDO, L. A. et al. Estresse, coping e estado de saúde entre enfermeiros hospitalares. Rev. Esc. Enferm. USP, v. 45, n. 6, p. 1434-1439, 2011. https://doi.org/10.1590/S0080-62342011000600022. Disponível em: https://www.scielo.br/j/reeusp/a/9Vmj4CrP7kQsv5JHLNTHkCL/abstract/?lang=pt. Acesso em: 19 jan. 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/S0080-62342011000600022

LUZ, R. R. et al. Gestão da pandemia Coronavírus Srs-Cov-2 em ambiente hospitalar: revisão da literatura. Braz. J. Develop., Curitiba, v. 7, n. 6, p. 58250-58259, jun. 2021. Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/download/31293/pdf?__cf_chl_tk=ffsaJOBN0VhDCRPbY054nKCJpZB.qtH4KMNEUitenfA-1665171793-0-gaNycGzNCNE. Acesso em: 10 jul. 2022. DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n6-294

MANTOVANI, M. Estresse x ambiente de trabalho. Administradores – o portal da administração. 2013. Disponível em: https://administradores.com.br/artigos/estresse-x-ambiente-de-trabalho. Acesso em: 28 ago. 2022.

MARTINS, A. R. et al. A saúde mental da enfermagem no enfrentamento da COVID-19 em um hospital universitário regional. Rev. Bras. Enferm., v. 73, n. 2, 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/0034-7167-2020-0434. Disponível em: https://www.scielo.br/j/reben/a/ck98YrXKhsh6mhZ3RdB8ZVx/?lang=pt. Acesso em: 08 jul. 2022.

MICHEL, M. H. Metodologia e Pesquisa Científica e Ciências Sociais. 3. ed. Minas Gerais: Atlas, 2015, p. 304.

MORAES, A. O. N. et al. Saúde ocupacional de profissionais de enfermagem e a depressão. Research, Society and Development, v. 10, n. 7, 2021. DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v10i7.16831. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/16831. Acesso em: 15 ago. 2022. DOI: https://doi.org/10.33448/rsd-v10i7.16831

MORAIS FILHO, L. A. et al. Competência legal do enfermeiro na urgência/emergência. Enferm. Foco, v. 7, n. 1, 2016. Disponível em: http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/659/278. Acesso em: 15 dez. 2021. DOI: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2016.v7.n1.659

NASCIMENTO, F. J.; FERRAZ, F. T. Estresse e qualidade de vida no trabalho. Rio de Janeiro: UFF, 2010. Tese (mestrado), Universidade Fluminense, Rio de Janeiro, 2010. Disponível em: https://app.uff.b/. Acesso em: 25 ago. 2022.

NERY, A. A.; AZEVEDO, B. S.; CARDOSO, J. P. OCCUPATIONAL STRESS AND DISSATISFACTION WITH QUALITY OF WORK LIFE IN NURSING. Texto & Contexto Enfermagem, Florianópolis, v. 26, n. 1, p. 1-11, 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0104- 07072017003940015. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104- 07072017000100309&script=sci_arttext&tlng=pt. Acesso em: 15 jul. 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/0104-07072017003940015

OLSCHOWSKY, A. et al. A enfermagem na urgência e emergência: entre o prazer e o sofrimento. Rev. Pesq. Cuid. Fundam. Online, v. 9, n. 2, p. 422-431, abr. 2017. DOI: https://doi.org/10.9789/2175-5361.2017.v9i2.422-431. Disponível em: http://seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/5427. Acesso em: 10 ago. 2022. DOI: https://doi.org/10.9789/2175-5361.2017.v9i2.422-431

RIBEIRO, W. A. et al. Fatores de risco para a depressão no cotidiano da equipe de Enfermagem no âmbito hospitalar. Research, Society and Development, v. 9, n. 8, 2020. DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i8.5287. Disponível em: https://redib.org/Record/oai_articulo3003763-fatores-de-risco-para-a-depress%C3%A3o-cotidiano-da-equipe-de-enfermagem-%C3%A2mbito-hospitalar. Acesso em: 10 dez. 2021. DOI: https://doi.org/10.33448/rsd-v9i8.5287

RIZZI, D. S. et al. Geradores de estresse para os trabalhadores de enfermagem de centro cirúrgico. Semina: Ciências Biológicas e da Saúde, Londrina, v. 36, n. 1, p.25-32, 9 mar. 2015. Universidade Estadual de Londrina. DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2015v36n1suplp25. Disponível em: http://www.uel.br/seer/index.php/seminabio/article/view/18197. Acesso em: 1 ago. 2022. DOI: https://doi.org/10.5433/1679-0367.2015v36n1Suplp25

ROCHA, I. C. et al. Estresse ocupacional em enfermeiros atuantes em setores fechados de um hospital de Pelotas/RS. Revista de Enfermagem da UFSM, Santa Maria, v. 3, n. 3, p.374-382, 27 dez. 2013. Universidad Federal de Santa Maria. DOI: http://dx.doi.org/10.5902/217976927624. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/index.php/reufsm/article/view/7624. Acesso em: 20 jul. 2022. DOI: https://doi.org/10.5902/217976927624

RODRIGUES, S. T.; HARBS, T. C.; QUADROS, V. A. S. Estresse da equipe de enfermagem em um centro de urgência e emergência. Boletim de Enfermagem, v. 1, n. 2, p. 41-56, 2008. Disponível em: https://silo.tips/download/urgencia-e-emergencia-4. Acesso em: 8 jul. 2022.

SANTOS, E. V. et al. Sobrecarga de trabalho da Enfermagem e incidentes e eventos adversos em pacientes internados em UTI. Rev. Bras. Enferm., v. 67, n. 5, set./out. 2014. DOI: https://doi.org/10.1590/0034-7167.2014670504. Disponível em: https://www.scielo.br/j/reben/a/9nbqvZDkZCrfgGxMnYPbD7r/abstract/?lang=pt. Acesso em: 7 jul. 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/0034-7167.2014670504

SANTOS, J. N. M. O. et al. Estresse ocupacional: exposição da equipe de enfermagem de uma unidade de emergência. Cuidado é Fundamental, v. 11, n. esp., p. 455-463, 2019. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/. Acesso em: 2 ago. 2022. DOI: https://doi.org/10.9789/2175-5361.2019.v11i2.455-463

SCHNEIDER, L. M. C. et al. Assistência Farmacêutica no Brasil: Política, Gestão e Clínica. 2 ed. Florianópolis: Editora UFSC, 2016, p. 163.

SCHULTZ, D. P.; SCHULTZ, S. E. Teoria da Personalidade. 3 ed. São Paulo: Cengage Learning, 2016, p. 54.

SILVA, A. H.; FOSSÁ, M. I. T. Análise de Conteúdo: exemplo de aplicação da técnica para análise de dados qualitativos. Qualitas Revista Eletrônica, v.17, n. 1, 2015. DOI: https://doi.org/10.18391/QUALITAS.V16I1.2113. Disponível em: https://www.semanticscholar.org/paper/AN%C3%81LISE-DE-CONTE%C3%9ADO%3A-EXEMPLO-DE-APLICA%C3%87%C3%83O-DA-PARA-Silva-Foss%C3%A1/28f63a9af7fafe1bf64b4a45f0dccec6e110272a. Acesso em: 15 fev. 2022.

SILVA, A. M.; OLIVEIRA, B. L. C. A.; LIMA, S. F. CARGA SEMANAL DE TRABALHO PARA ENFERMEIROS NO BRASIL: DESAFIOS AO EXERCÍCIO DA PROFISSÃO. Trab. Educ. saúde, v. 16, n. 3, set./dez. 2018. DOI: https://doi.org/10.1590/1981-7746-sol00159. Disponível em: https://www.scielo.br/j/tes/a/NLcnBWSyFd8V4XGWwSqfZkm/?lang=pt. Acesso em: 30 ago. 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/1981-7746-sol00159

SILVA, A. M. S. M.; INVENÇÃO, A. S. A. A atuação do enfermeiro no atendimento de urgência e emergência. Revista UNILUS Ensino e Pesquisa, v. 15, n. 39, p. 5-13, 2018. Disponível em: http://revista.unilus.edu.br/index.php/ruep/article/view/1015/0. Acesso em: 5 jan. 2022.

SILVA, D. G.; DUARTE, M. L. C.; BAGATINI, M. M. C. Enfermagem e saúde mental: uma reflexão em meio à pandemia de Coronavírus. Rev. Gaúcha Enferm., v. 42, set. 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/1983-1447.2021.20200140. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rgenf/a/MnRHwqvgq3kTrHQ3JPSLR7H/?lang=pt. Acesso em: 11 jul. 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/1983-1447.2021.20200140

SILVA, K. R. P. F. Síndrome de Burnout – A síndrome do esgotamento profissional. Central Psicologia, jan. 2020. Disponível em: https://centralpsicologia.com.br/blog/sindrome-de-burnout-a-sindrome-do-esgotamento-profissional?gclid=EAIaIQobChMI0-yYodGr6AIVkQyRCh1PMAJpEAAYAyAAEgKfVvD_BwE. Acesso em: 5 jan. 2022.

SOUZA, A. B. A. et al. Fatores de estresse nos profissionais de enfermagem no combate à pandemia da COVID-19: síntese de Evidências; Comun. Ciênc. Saúde, v. 31, n. 1, 2020. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/biblio-1097300. Acesso em: 8 jul. 2022.

WEHBE, G.; GALVAO, M. C. Aplicação da Liderança Situacional em enfermagem de emergência. Rev. bras. enferm., Brasília, v. 58, n. 1, fev. 2005. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-71672005000100006. Disponível em: https://www.scielo.br/j/reben/a/bNrKyqvVHk8DjFWbQm8RvjF/?lang=pt. Acesso em: 17 jan. 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-71672005000100006

SOUZA, G. C. et al. Trabalho em equipe de enfermagem: circunscrito à profissão ou colaboração interprofissional. Rev. esc. Enferm. USP, v. 50, n. 4, jul./ago. 2016. DOI: https://doi.org/10.1590/S0080-623420160000500015. Disponível em: https://www.scielo.br/j/reeusp/a/L3JcWLmR4wd4wXKMQmLgccG/?lang=pt. Acesso em: 30 ago. 2022.

Published

2023-08-24

How to Cite

Vieira, L. I., Teixeira, N. M. L., Galdino, Y. F., de Oliveira, C. F. P., Pereira, D., Xavier, M. E. L., Lima, N. E. de M., & Pereira, R. M. da S. (2023). EMERGÊNCIA: O ESTRESSE OCUPACIONAL ENFRENTADO POR ENFERMEIROS. Revista Contemporânea, 3(8), 12698–12714. https://doi.org/10.56083/RCV3N8-152

Issue

Section

Articles