VIOLÊNCIA ENTRE PARCEIROS ÍNTIMOS AUTORRELATADA POR PROFISSIONAIS MILITARES DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA: PREVALÊNCIA E FATORES ASSOCIADOS

Authors

  • Jonathan Celli Honório
  • Nathália França de Oliveira

DOI:

https://doi.org/10.56083/RCV3N8-153

Keywords:

Violência por Parceiro Íntimo, Militares, Ciência Militar, Estudos Transversais

Abstract

O presente estudo transversal buscou estimar a proporção de Violência entre Parceiros Íntimos autorrelatada por militares da Força Aérea Brasileira, sediados na cidade de Manaus, Amazonas, e identificar os fatores associados à ocorrência da violência. A pesquisa foi realizada por meio de questionário virtual de janeiro a março de 2023, com amostra representativa de 186 militares da FAB. Calculou-se a proporção de cada um dos tipos de violência (coerção sexual, agressão psicológica, negociação, lesão e violência física) e para a identificação dos fatores associados foram realizadas análises de regressão logística bruta e ajustada. O tipo de violência de maior proporção foi a agressão psicológica (75,8%) e a de menor proporção a coerção sexual (2,7%). Militares que se decepcionaram com o trabalho tiveram mais chances de se envolver em situações de coerção sexual (OR=22.37; p-valor=0.01). Militares cujo parceiro(a) mora junto (OR=3.50; p-valor=0.05) e cujo ambiente familiar não se apresenta organizado (OR=4.19; p-valor<0.01) tiveram mais chances de se envolverem em situações de agressão psicológica. Os militares que se autodeclaram pardos (OR=9.36; p-valor=0.05) e cujo ambiente familiar não se apresenta organizado (OR<1.00; p-valor=0.04) tem mais chance de envolvimento com lesões entre parceiros. Concluiu-se que a Violência entre Parceiros Íntimos nas suas diversas formas está associada a fatores individuais e familiares que podem apresentar implicações importantes do ponto de vista das relações e da atuação profissional.

References

______(2022). Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2022. Samira Bueno e Renato Sérgio de Lima (Coord). Ano 16, 2022. Disponível em: https://forumseguranca.org.br/wp-content/uploads/2022/06/anuario-2022.pdf?v=15. Acesso em: 02 de julho de 2023.

ALLY, Elizabeth Z., et al. Intimate partner violence trends in Brazil: data from two waves of the Brazilian National Alcohol and Drugs Survey, Revista Brasileira de Psiquiatria, v. 38 (2), 2016, p. 98-105. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1516-4446-2015-1798. Acesso em: 19 de julho de 2023. DOI: https://doi.org/10.1590/1516-4446-2015-1798

BARROS, Érika Neves de. Prevalência e fatores associados à violência por parceiro íntimo em mulheres de uma comunidade em Recife/Pernambuco, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v. 21 (2), 2016, p. 591-598. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413-81232015212.10672015. Acesso em: 19 de julho de 2023. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232015212.10672015

BRASIL (2021). Ministério da Defesa. Comando da Aeronáutica. Organização Geral. Regimento Interno do VII COMAR. RICA 21-331/2021. Portaria SEFA nº 28/AJUR, de 4 de fevereiro de 2021. Publicado no Boletim do Comando da Aeronáutica (BCA) nº 027, de 9 de fevereiro de 2021.

CALDEIRA, Tatiana Menchero Caldeira. Perfil Psicopatológico de Agressores Conjugais e Fatores de Risco. Dissertação (Mestrado em Psicologia Clínica e da Saúde. Ciências Sociais e Humanas Covilhã, Universidade da Beira Interior, 2012, p. 113.

CARDOSO, Renata Braz das Neves. Homens autores de violência contra parceiros íntimos: estudo com policiais do Distrito Federal. Dissertação (Mestrado). Centro de Estudos Avançados e Multidisciplinares do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento, Sociedade e Cooperação Internacional da Universidade de Brasília. Brasília-DF, 2016, p. 113.

DA SILVA, Anne Caroline Luz Grudtner; COELHO, Elza Berger Salema; MORETTI-PIRES, Rodrigo Otávio. O que se sabe sobre o homem autor de violência contra a parceira íntima: uma revisão sistemática. Rev Panam Salud Publica, n. 35(4), 2014, p. 278–83. Disponível em: https://www.scielosp.org/pdf/rpsp/v35n4/07.pdf. Acesso em: 19 de julho de 2023.

DA SILVA, Cristina Rodrigues. O Exército como família: etnografia sobre as vilas militares na fronteira. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social. Universidade de São Carlos: São Carlos, São Paulo, 2016, p. 229.

GUIMARÃES, Maisa Campos; PEDROZA, Regina Lucia Sucupira. Violência contra a mulher: problematizando definições teóricas, filosóficas e jurídicas. Psicologia & Sociedade, v. 27, (2), 2015, p. 256-266. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/psoc/v27n2/1807-0310-psoc-27-02-00256.pdf. Acesso em: 2 de dezembro de 2018. DOI: https://doi.org/10.1590/1807-03102015v27n2p256

JONES, Alysha D. Intimate partner violence in military couples: A review of the literature. Aggression and Violent Behavior, v. 17, 2012, p. 147-157. DOI: https://doi.org/10.1016/j.avb.2011.12.002

LIRA, Kennya Silva Formiga de. Prevalência e fatores associados à violência física, psicológica e sexual contra a mulher por parceiro íntimo. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde). Comissão de Pós-Graduação do Centro Universitário de Saúde ABC, Santo André, São Paulo, 2020, 75 fls.

LOURENÇO, Lelio Moura, et al. Panorama da violência entre parceiros íntimos: Uma revisão crítica da literatura. Revista Interamericana de Psicología/Interamerican Journal of Psychology, v. 47 (1), 2013, p. 91-100. Disponível em: https://doi.org/10.30849/rip/ijp.v47i1.205. Acesso em: 19 de julho de 2023.

MASCARENHAS, Márcio Dênis Medeiros, et al. Análise das notificações de violência por parceiro íntimo contra mulheres, Brasil, 2011–2017, Rev Bras Epidemiol, v. 23: E200007, 2020, p. 1-13. DOI: https://doi.org/10.1590/1980-549720200007.supl.1

MORAES, Cláudia Leite; HASSELMANN, Maria Helena; REICHENHEIM, Michael E. Adaptação transcultural para o português do instrumento “Revised Conflict Tactics Scales (CTS2)” utilizado para identificar violência entre casais. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 18(1), jan./fev., 2002, p. 163-176. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-311X2002000100017

PAIVA, Tamyres Tomaz. Violência entre parceiros íntimos e suas relações com os gatilhos de agressão. Dissertação (mestrado) UFPB/CCHLA, 2018, 195 fls. Disponível em: ttps://repositorio.ufpb.br/jspui/bitstream/123456789/13454/1/Arquivototal.pdf. Acesso em: 18 jul. 2023.

PLENO, Luís Miguel Pereira. Family Environment Scale (FES): Contributos para o desenvolvimento da versão reduzida da escala para a população portuguesa. Dissertação (Mestrado). Lisboa: Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Faculdade de Psicologia e das Ciências da Vida, 2017, p. 39.

SCHRAIBER, Lilia Blima, et al. Prevalência da violência contra a mulher por parceiro íntimo em regiões do Brasil. Rev Saúde Pública, v. 41(5), 2007, p. 797-807. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-89102007000500014

SILVA, Aline Natália; AZEREDO, Catarina Machado. Associação entre vitimização por violência entre parceiros íntimos e depressão em adultos brasileiros. Ciência & Saúde Coletiva, v. 24 (7), 2019, p. 2691–2700. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413-81232018247.25002017. Acesso em: 19 de julho de 2023. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232018247.25002017

SPARROW, Katherine. et al. Prevalence of Self-Reported Intimate Partner Violence Victimization Among Military Personnel: A Systematic Review and Meta-Analysis. Trauma, Violence, and Abuse, v. 21 (3), 2020, p. 586-609. DOI: https://doi.org/10.1177/1524838018782206

TAMAYO, Mauricio Robayo; TRÓCCOLI, Bartholomeu Tôrres. Construção e validação fatorial da Escala de Caracterização do Burnout (ECB). Estudos de Psicologia, v.14 (3), 2009, p. 213-221. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-294X2009000300005

VASCONCELOS, Nádia Machado de. Prevalência e fatores associados a violência por parceiro íntimo contra mulheres adultas no Brasil: Pesquisa Nacional de Saúde, 2019. Revista Brasileira de Epidemiologia, (24), 2021. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbepid/a/6hDYSM5rxrFDT9hS5yhr69p/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 19 de julho de 2023.

VIANNA, Vania Patrícia Teixeira. Comparação do ambiente familiar de dependentes de álcool e/ou outras drogas, avaliado pela escala do ambiente familiar (FES - Family Environment Scale). Tese (Mestrado) Universidade Federal de São Paulo. Escola Paulista de Medicina. Programa de Pós-graduação do Departamento de Psicobiologia, São Paulo, 2004, p. 99.

VIEIRA, Tatiana Nair Monteiro. Estudo retrospectivo sobre os fatores de vulnerabilidade à coerção sexual em mulheres adultas. Universidade do Algarve. Faculdade de Ciências Humanas e Sociais. Mestrado em Psicologia Clínica e da Saúde, 2021, 121 p. Disponível em: https://sapientia.ualg.pt/bitstream/10400.1/17624/1/Dissertação%20de%20Mestrado_Tatiana%20Vieira-%20a54266.pdf. Acesso em: 10 de julho de 2023.

WHO (World Health Organization); PAHO (Pan-American Health Organization). Understanding and addressing violence against women. Intimate partner violence. 2012. Disponível em: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/77432/WHO_RHR_12.36_eng.pdf;sequence=1. Acesso em: 15 de agosto de 2021.

WIEVIORKA, Michel. Violência hoje. Ciência e Saúde Coletiva, 11 (Sup), 2007, p. 1147-1153. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1413-81232006000500002. Acesso em: 15 de julho de 2023. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-81232006000500002

Published

2023-08-24

How to Cite

Honório, J. C., & de Oliveira, N. F. (2023). VIOLÊNCIA ENTRE PARCEIROS ÍNTIMOS AUTORRELATADA POR PROFISSIONAIS MILITARES DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA: PREVALÊNCIA E FATORES ASSOCIADOS. Revista Contemporânea, 3(8), 12715–12734. https://doi.org/10.56083/RCV3N8-153

Issue

Section

Articles