CONSIDERAÇÕES SOBRE PATOLOGIAS EM EDIFICAÇÕES: MEDIDAS PREVENTIVAS E RECUPERAÇÃO

Authors

  • Luiza Ignez Mollica Marotta
  • Clayton Reis de Oliveira
  • Gustavo Soares Santos
  • Igor Rafael Buttignol de Oliveira
  • Guilherme Silva de Souza
  • Pedro Augusto Soares
  • Diogo Plachi Lopes
  • Júlio César Lemes de Souza

DOI:

https://doi.org/10.56083/RCV3N8-074

Keywords:

Patologia, Construção Civil, Edificações

Abstract

A construção civil é uma das principais indústrias geradoras de emprego e renda no Brasil. Por ser um setor que atua como mola propulsora no desenvolvimento econômico, deve ter atenção especial nos aspectos de qualidade e durabilidade dos produtos gerados. Entretanto, as edificações, durante seu período de vida útil estão submetidas à ação de diversos agentes de degradação provenientes do meio em que estão inseridas, ou podem vir a sofrer deteriorações provocadas por falhas humanas durante o processo construtivo. As patologias presentes nas edificações podem se originar nas fases de projeto, execução e também qualidade dos materiais utilizados nas obras. Medidas preventivas são estratégias de durabilidade das construções. Nos casos onde um sistema patológico encontra-se em curso, técnicas de reparo devem ser aplicadas com objetivo de garantir a integridade estrutural. Este artigo apresenta estratégias para minimizar patologias nas edificações, além disso, descreverá formas de diagnosticar estados patológicos e apontou técnicas de reabilitação e/ou reforço dos edifícios.

References

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 12655: Concreto – Preparo, controle e recebimento. Rio de Janeiro, 1996, p. 22.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 14931: Execução de estruturas de concreto – Procedimento. Rio de Janeiro, 2004, p. 59.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6118: Projetos de Estruturas de Concreto – Procedimentos. Rio de Janeiro, 2014, p. 256.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6122: Projeto e Execução de Fundações. Rio de Janeiro, 1996, p. 33.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6575: Impermeabilização – Seleção e Projeto. Rio de Janeiro, 2003.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6484: Solo - Sondagens de simples reconhecimento com SPT - Método de ensaio. Rio de Janeiro 2001, p. 17.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 8036: Programação de sondagens de simples reconhecimento dos solos para fundações de edifícios. Rio de Janeiro, 1983, p. 3.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6122: Projeto e execução de fundações. Rio de Janeiro, 1996, p. 33.

BRITO, C. S.; JUNIOR, W. C. P. Patologias decorrentes em edificações verticais na região metropolitana de Belém: em diversas idades. Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) – Universidade da Amazônia, Belém-PA, p. 107, 2012.

BORGES, A. C. Prática das pequenas construções. São Paulo: Ed. Edgard Blucher Ltda, 2012. Vol. 1

CUIDADOS NA COMPACTAÇÃO DE SOLOS. Disponível em: http://www.locguel.com.br/solucoes/cuidados-na-compactacao-de-solos/. Acesso em: 6 de outubro de 2015.

DANOS NAS CONSTRUÇÕES. Disponível em: http://www.veralunin.com/danos/. Acesso em: 14 de novembro de 2015.

ENGENHARIA CIVIL. Disponível em: http://www.crea-rn.org.br/camaras/engenharia-civil/. Acesso em: 26 de setembro de 2015.

FARIA, A. N. A Segurança no Trabalho. Rio de Janeiro: Aspecto Editora S.A., 1971.

FISSURAS E TRINCAS. Disponível em: http://www.crea-rn.org.br/camaras/engenharia-civil/. Acesso em: 6 de outrubro de 2015.

HELENO, G. A construção civil e a edificação de um país. Revista Brasileira de Administração, Brasília, ano 20, n.75, p. 22-29, mar./abr. 2010.

MATERIAIS E FERRAMENTAS. Disponível em: http://equipedeobra.pini.com.br/construcao-reforma/. Acesso em: 6 de outubro de 2015.

MEDICAL CONDITIONS IN CONCRET. Disponível em: http://paginasamarelasdaimper.blogspot.com.br/. Acesso em: 14 de novembro de 2015.

PATOLOGIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL: PRINCIPAIS CAUSAS. Disponível em: http://ibape-rs.org.br/2013/06/patologia-da-construcao-civil-principais-causas/. Acesso em: 5 de setembro de 2015.

NOTÍCIAS. Disponível em: http://piniweb.pini.com.br/construcao/noticias/qual-o-procedimento-mais-seguro-para-a-recuperacao-de-fundacoes-83981-1.aspx. Acesso em: 16 de novembro de 2015.

PIRES, J. R. Patologias na construção dos edifícios. Caso de estudo, edifício da FICASE na Cidade da Praia. 2013. 2285. Tese (Licenciatura) – Faculdade de Arquitectura. Universidade Jean Piaget de Cabo Verde, Palmarejo Grande, cidade da Praia, 2013.

POLITO, G. Corrosão em estruturas de concreto armado: Causas, mecanismos, prevenção e recuperação. 2006, p. 191. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Avaliações e Perícias) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.

RIPPER, Thomas. Patologia, recuperação e reforço de estruturas de concreto. São Paulo: Ed. Pini, 1998.

Published

2023-08-10

How to Cite

Marotta, L. I. M., de Oliveira, C. R., Santos, G. S., de Oliveira, I. R. B., de Souza, G. S., Soares, P. A., Lopes, D. P., & de Souza , J. C. L. (2023). CONSIDERAÇÕES SOBRE PATOLOGIAS EM EDIFICAÇÕES: MEDIDAS PREVENTIVAS E RECUPERAÇÃO. Revista Contemporânea, 3(8), 11292–11318. https://doi.org/10.56083/RCV3N8-074

Issue

Section

Articles