PERCEPÇÕES DE PROFISSIONAIS DA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA SOBRE AS NECESSIDADES DE SAÚDE NA COMUNIDADE LGBTQIAPN+

Authors

  • Rogério Magalhães Coimbra Silva
  • Ítalo Ricardo Santos Aleluia
  • Paloma Silva Silveira

DOI:

https://doi.org/10.56083/RCV3N8-042

Keywords:

Pessoas LGBTQIA , Minorias Sexuais e de Gênero, Acesso aos Serviços de Saúde, Sistema Único de Saúde, Necessidades e Demandas de Serviços de Saúde

Abstract

A Atenção Primária à Saúde (APS) deve ser a porta de entrada preferencial do Sistema Único de Saúde (SUS) que, através da Estratégia de Saúde da Família (ESF), tem o papel de coordenar o cuidado aos grupos sociais vulnerabilizados nos territórios. No entanto, estudos apontam que as equipes de APS estão despreparadas para prestar um cuidado humanizado, que respeite e acolha a população LGBTQIAPN+, compreendendo as suas necessidades de saúde. Este estudo analisou as percepções de profissionais da ESF, em município da Bahia, sobre as necessidades de saúde da população LGBTQIAPN+. Trata-se de estudo qualitativo exploratório, mediante entrevistas com 18 profissionais de saúde integrantes das Equipes de Saúde da Família (EqSF). O processamento dos dados ocorreu no Software QRS Nvivo 12 e a análise tomou como referência categorias teóricas da Teoria das Necessidades de Agnes Heller, a saber sendo elaboradas as seguintes categorias: necessidades de saúde, necessidade de serviços de saúde, necessidades naturais e radicais. Profissionais de saúde das EqSF não reconheciam as necessidades de saúde da comunidade LGBTQIAPN+, de forma integral, secundarizando-as ao plano biomédico. As necessidades de serviços de saúde eram invisibilizadas e frequentemente associadas a demandas da população em geral, sem uma abordagem equitativa. Já as necessidades de saúde naturais e radicais, dificilmente foram referidas pelos profissionais, cujo padrão heterocisnormativo dominava a racionalidade de cuidado nas EqSF e distanciava os serviços de uma abordagem centrada nos determinantes sociais da saúde. Os resultados deste estudo foram contribuíram para identificação das limitações de profissionais das EqSF em ofertar uma assistência baseada na equidade e igualdade. Novos estudos são necessários para avaliar as demandas, necessidades e singularidades das comunidades LGBTQIAPN+, principalmente, na APS.

References

ALBUQUERQUE, M.R.T.C et al. Atenção integral à saúde da população LGBT: Experiência de educação em saúde com agentes comunitários na atenção básica. Rev. Bras. Med. Fam. Comunidade. 2019;14(41):1758.

BARREIRAS. Prefeitura Municipal de. Secretaria de Saúde. Dados sobre a atenção básica. Barreiras, 2020.

BEZERRRA, M.V.R et al. Política de saúde LGBT e sua invisibilidade nas publicações em saúde coletiva. Saúde Debate. Rio de Janeiro, v. 43, n. especial 8, p. 305-323, dez. 2019.

BRASIL (MINISTÉRIO DA SAÚDE). Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa, Departamento de Apoio à Gestão Participativa. Política Nacional de Saúde Integral de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2011.

BRASIL (MINISTÉRIO DA SAÚDE). Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. Plano Nacional de Promoção da Cidadania e Direitos Humanos LGBTT. Brasília-DF, 2009.

CATÃO, M. et al. Social exclusion of the rights of citizenship: patterns andpopulation lgbt mishaps of Campina Grande – PB [Internet]. Revista Datavenia V.7, Nº1 (jan./abr.)2015.

CAMPOS, D.A; MORETTI-PIRES, R.O. Trajetórias sociais de gays e lésbicas moradores de rua de Florianópolis (SC), 2016. Revista Est. Fem. 2018; 26(2):e45995.

CIASCA, S.V.; HERCOWITZ, A.; JUNIOR, A.L.; Saúde LGBTQIA+: Práticas de cuidado transdisciplinar. 1. Ed. – Santana de Parnaíba (SP): Manole, 2021.

FERREIRA, B.O et al. Diversidade de Gênero e Acesso ao Sistema Único de Saúde. Rev. Bras. Promoç. Saúde, Fortaleza, 31(1): 1-10, jan./mar., 2018.

FERREIRA, B.O et al. “Não tem essas pessoas especiais na minha área”: saúde e invisibilidade das populações LGBT na perspectiva de agentes comunitários de saúde. Revista Eletrônica de Comunicação, Informação e Inovação em Saúde, [S.l.], v. 13, n. 3, sep. 2019.

FIGUEREDO, SR; MELO, LP; JUNIOR, AL. Acesso e organização dos serviços de saúde. In: CIASCA, SV; HERCOWITZ, A; JUNIOR, AL. Saúde LGBTQIA+: Práticas de cuidado transdisciplinar. Santana de Parnaíba (SP): Manole, 2021. p.147-156.

GOMES, S.M et al. O SUS fora do armário: concepções de gestores municipais de saúde sobre a população LGBT. Saúde soc., São Paulo, v. 27, n. 4, p. 1120-1133, out. 2018.

GUIMARÃES, R.C.P; LORENZO, CFG; MENDONÇA, AVM. Patologização e invisibilidade: reconhecimento das demandas e acolhimento da população LGBT na atenção básica. ISSN 1982-8829 Tempus, actas de saúde colet, Brasília, 14(2), 137-153 jun, 2020. Epub abr 2021.

GRUPO GAY DA BAHIA. Mortes violentas de LGBT+ no Brasil: Relatório 2022. Disponível em: https://observatoriomorteseviolenciaslgbtibrasil.org/wp-content/uploads/2023/05/Dossie-de-Mortes-e-Violencias-Contra-LGBTI-no-Brasil-2022-ACONTECE-ANTRA-ABGLT.pdf. Acesso em: 18 ago. 2019.

HANAUER, O.F.D; HEMMI, A.P.A. Caminhos percorridos por transexuais: em busca pela transição de gênero. Saúde Debate. Rio de Janeiro, v. 43, n. especial 8, p. 91-106, dez 2019.

HELLER, A. Teoría de las necessidades em Marx. Barcelona: Península; 1986.

JUNIOR, A.L et al. Homens cis gays. In: CIASCA, SV; HERCOWITZ, A; JUNIOR, AL. Saúde LGBTQIA+: Práticas de cuidado transdisciplinar. Santana de Parnaíba (SP): Manole, 2021. p. 215-223.

MANDARINO, A.C.S et al. (In)visibilidades da saúde da população LGBT no Programa de Pesquisa para o SUS (PPSUS), Brasil. Revista Eletrônica de Comunicação, Informação e Inovação em Saúde, [S.l.], v. 13, n. 3, sep. 2019.

MEDEIROS, L.P; AMORIM, A.K.M.A; NOBRE, M.T. Narrativas LGBT de pessoas em situação de rua: repensando identidades, normas e abjeções. Pesq. prát. psicossociais, São João del-Rei, v. 15, n. 1, p. 1-16, mar. 2020.

MISKOLCI, R. Machos e Brothers: uma etnografia sobre o armário em relações homoeróticas masculinas criadas on-line. Estudos Feministas, 2013 Jan-Abr; 21(1): 424-434.

MÜLLER, A. “Scrambling for access: availability, accessibility, acceptability and quality of healthcare for lesbian, gay, bisexual and transgender people in South Africa.” BMC international health and human rights. vol. 17,1 16. 30 May. 2017.

MÜLLER, A. “Health for All? Sexual Orientation, Gender Identity, and the Implementation of the Right to Access to Health Care in South Africa.” Health and human rights vol. 18,2 (2016): 195-208.

NEGREIROS, F.R.N et al. Saúde de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais: da Formação Médica à Atuação Profissional. Rev. bras. educ. med., Brasília, v. 43, n. 1, p. 23-31, Mar. 2019.

NOGUEIRA, S.N.B. Da Cartografia da Resistência ao Observatório da Violência contra Pessoas Trans no Brasil. Revista Latino Americana de Geografia e Gênero, v. 9, n. 1, p.220­225,2018.

OLIVEIRA, G.S et al. Health services for lesbians, gays, bisexuals and transvestites/transexuals. Journal of Nursing UFPE on line, [S.l.], v. 12, n. 10, p. 2598-2609, oct. 2018.

PAIM, J.S. Desafios para a saúde coletiva no Século XXI. Salvador: Ed. UFBA; 2006.

PAIM, J.S; ALMEIDA-FILHO, N. Saúde coletiva: teoria e prática 1. ed. 2014. Medbook, Rio de Janeiro: 720p.

PINTO, A.D et al. “Routine collection of sexual orientation and gender identity data: a mixed-methods study.” CMAJ: Canadian Medical Association journal = journal de Association medicale canadienne vol. 191,3 (2019).

RAIMONDI, G.A et al. Ensino de saúde de diversidades sexuais. In: CIASCA, SV; HERCOWITZ, A; JUNIOR, AL. Saúde LGBTQIA+: Práticas de cuidado transdisciplinar. Santana de Parnaíba (SP): Manole, 2021. p. 513-519.

RIOS, L.F. Homossexualidade, juventude e vulnerabilidade ao HIV/Aids no candomblé fluminense. Temas Psicol [Internet]. 2013;21(3):1051-66.

ROSSMAN, K et al. “The doctor said I didn’t look gay”: Young adults’ experiences of disclosure and non-disclosure of LGBTQ identity to healthcare providers Journal of homosexuality vol. 64,10 (2017): 1390-1410.

RUFINO, A.C; MADEIRO, A.P; GIRÃO, M.J.B.C. O Ensino da sexualidade nos cursos médicos: a percepção de estudantes do Piauí. Rev. bras. educ. med. (Rio de Janeiro). 2013; 37(2): 178-185.

SANTANA, A.D.S et al. Difficulties in access to health services by lesbian, gay, bisexual and transgender people. Journal of Nursing UFPE on line, [S.l.], v. 14, jan. 2020.

SILVA, J.W.S.B et al. Políticas públicas de saúde voltadas à população LGBT e à atuação do controle social. Espaço para a saúde – revista de saúde pública do paraná; Londrina; v. 18 | n. 1 | p. 140 -149 | julho 2017.

SILVA, ATC; ROSA, CAP; GAGLIOTTI, DAM. LGBTQIA+fobia institucional na área da saúde. In: CIASCA, SV; HERCOWITZ, A; JUNIOR, AL. Saúde LGBTQIA+: Práticas de cuidado transdisciplinar. Santana de Parnaíba (SP): Manole, 2021. p. 100-106.

SOUSA, P.J; FERREIRA, L.O.C; SÁ, J.B. Estudo descritivo da homofobia e vulnerabilidade ao HIV/Aids das travestis da Região Metropolitana do Recife, Brasil. Ciênc. Saúde Colet. [Internet]. 2013;18(8):2239-51.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE MEDICINA DE FÁMILIA E COMUNIDADE. O Atendimento de Pessoas Trans na Atenção Primária a Saúde. 2020. Disponível em: https://www.sbmfc.org.br/noticias/o-atendimento-de-pessoas-trans-na-atencao-primaria-a-saude/. Acesso em: 04 de agosto de 2021.

TADELE, G; AMDE, W.K. Health needs, health care seeking behaviour, and utilization of health services among lesbians, gays and bisexuals in Addis Ababa, Ethiopia. Int J Equity Health. 2019;18(1):86.

WHITEHEAD, J et al. “Outness, Stigma, and Primary Health Care Utilization among Rural LGBT Populations.” PloS one vol. 11,1 e0146139. 5 Jan. 2016.

ZWICKL S, et al. Health Needs of Trans and Gender Diverse Adults in Australia: A Qualitative Analysis of a National Community Survey. Int J Environ Res Public Health. 2019;16(24).

Published

2023-08-07

How to Cite

Silva, R. M. C., Aleluia, Ítalo R. S., & Silveira, P. S. (2023). PERCEPÇÕES DE PROFISSIONAIS DA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA SOBRE AS NECESSIDADES DE SAÚDE NA COMUNIDADE LGBTQIAPN+. Revista Contemporânea, 3(8), 10687–10711. https://doi.org/10.56083/RCV3N8-042

Issue

Section

Articles