AS CORRENTES E TENDÊNCIAS POLÍTICO-PEDAGÓGICAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL: UM ELO ENTRE PERSPECTIVAS, PARADIGMAS E CONCEPÇÕES

Authors

  • Ronualdo Marques
  • Diego Andrade de Jesus Lelis
  • Talita Fraguas
  • Rosicler Maria Alchieri
  • Bárbara Olsson Cunha

DOI:

https://doi.org/10.56083/RCV3N8-002

Keywords:

Educação Ambiental, Tendências Epistemológicas, Políticas Públicas

Abstract

A Educação Ambiental vem se consolidando numa rede de concepções, perspectivas e abordagens por meio de diálogos e disputas de sentidos diante da relação ser humano, sociedade e natureza. Assim, este artigo teve como objetivo descrever um panorama da Educação Ambiental de acordo com as suas concepções e tendências epistemológicas que vem permeando o discurso dos profissionais educadores ambientais. As várias concepções sobre o ambiente propiciam uma diversidade que pode ser enriquecida, em perspectiva sincrônica, pela combinação dos elementos entre as concepções eminentemente complementares que apresentam diversos caminhos, resultados da evolução histórica da própria institucionalização da Educação Ambiental. Considera-se que a Educação Ambiental está construindo novas formas de pensar e agir diante das suas múltiplas correntes, as quais têm permeado as discussões do processo formativo formal, informal e não-formal da Educação Ambiental e no campo das políticas públicas.

References

ALENCASTRO, Mario Sergio Cunha; SOUZA-LIMA, José Edmilson De. Educação Ambiental: Breves Considerações Epistemológicas. Revista Meio Ambiente e Sustentabilidade, Curitiba, PR, v. 8, n. 4, p. 20–50, 2015.

BRASIL. Lei n.º 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. BRASIL. Lei no 9.795, de 27 de abril de 1999.

CAMARGO, Thiago Dutra de; CAMARGO, Tatiana Souza de; SOUZA, Diogo Onofre Gomes de. A educação ambiental sob o olhar de suas múltiplas tendências pedagógicas. Simpósio sobre Sistemas Sustentáveis (5.: 2019: Porto Alegre). Anais: volume 01. Porto Alegre: GFM, 2019., 2019.

CARVALHO, Andréa Macedônio; SAHEB, Daniele; CAMPOS, Marília Andrade Torales. A construção ontológica do campo da Educação Ambiental: 30 questões fundamentais ao debate. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, Rio Grande/RS, v. 35, n. 2, p. 333–347, 2018. DOI: https://doi.org/10.14295/remea.v35i2.8224

CARVALHO, Isabel Cristina de Moura. Qual educação ambiental? Elementos para um debate sobre educação ambiental e extensão rural. Revista Agroecol. e Desenv. Rur. Sustent, Porto Alegre, v. 2, n. 2, 2001.

DIAS, Genebaldo Freire. Educação Ambiental: princípios e práticas. 9ª ed. Gaia. São Paulo. 2004.

DICKMANN, Ivo.; LIOTTI, L. C. (Orgs.). Educação ambiental crítica: experiências e vivências. Chapecó: Livrologia, 2020. DOI: https://doi.org/10.52139/livrologia9786586218831

DICKMANN, Ivo. Contribuições do pensamento pedagógico de Paulo Freire para a educação ambiental a partir da obra pedagogia da autonomia. Dissertação devMestrado. Universidade Federal do Paraná, 2010.

GAUDIANO, Edgar Gaudiano. Centro y periferia de La educación ambiental: um enfoque antiesencialista. México: Mundi Prensa, 1998.

GRÜN, Mauro. Ética e Educação Ambiental: A conexão necessária. 8. ed. Campinas: Papirus, 2004.

GUIMARÃES, Mauro. A formação de educadores ambientais. Campinas: Papirus, 2004.

KRENAK, A. A vida não é útil. São Paulo: Companhia das Letras, 2020.

LAYRARGUES, Philippe Pomier. Educação ambiental com compromisso social: o desafio da superação das desigualdades. In: LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo; LAYRARGUES, Philippe Pomier; CASTRO, Ronaldo Souza de (Org.). Repensar a educação ambiental: um olhar crítico. São Paulo: Cortez, 2009. p. 11-31.

LAYRARGUES, Philippe Pomier. A Crise Ambiental e suas Implicações na Educação. In: QUINTAS, J. S. (Org.). Pensando e praticando educação ambiental na gestão do meio ambiente. Brasília: Edições IBAMA, 2002.

LAYRARGUES; Philippe Pomier. Crise ambiental e suas implicações na educação, 2002.

LAYRARGUES, Philippe Pomier; LIMA, Gustavo Ferreira da Costa. As macrotendências político-pedagógicas da educação ambiental brasileira. Ambiente & Sociedade. 2014, v. 17, n. 1, pp. 23-40. DOI: https://doi.org/10.1590/1809-44220003500

LEFF, Enrique. A complexidade ambiental. São Paulo: Cortez, 2003.

LEFF, Enrique. Epistemologia Ambiental. 3 ed. São Paulo: Cortez, 2002.

LEFF, Enrique. Racionalidade Ambiental: a reapropriação social da natureza. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.

LEFF, Enrique. Saber Ambiental: sustentabilidade, racionalidade, complexidade, poder. 3 ed. Petrópolis: Vozes, 2004.

LELIS, Diego Andrade de Jesus; MARQUES, Ronualdo. Políticas Públicas de Educação Ambiental no Brasil: um panorama a partir de eventos internacionais e nacionais. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 7, p. e39910716841, 2021. Disponível em: < https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/16841 >. DOI: https://doi.org/10.33448/rsd-v10i7.16841

LELIS, Diego Andrade De Jesus; SAHEB Pedroso, D. As correntes da Geografia e da Educação Ambiental presentes na BNCC e nas DCNEA. Revista Sergipana de Educação Ambiental, v. 8, n. 1, p. 1-20, 18 jun. 2021. DOI: https://doi.org/10.47401/revisea.v8i1.15871

LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo. Trajetória e Fundamentos da Educação Ambiental. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2006.

LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo. Educação ambiental transformadora. In: LAYRARGUES, Philippe Pomier (Coord.). Identidades da educação ambiental brasileira. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2004. p. 65-84.

LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo. Educação Ambiental e Epistemologia. Rev. Eletrônica Mestr. Educ. Ambient. Rio Grande, v. 32, n. 2, p. 159-176, jul./dez. 2015.

LOUREIRO, Carlos Frederico B.; LAYRARGUES, Philippe Pomier. Ecologia política, justiça e educação ambiental crítica: perspectivas de aliança contra-hegemônica. Trabalho, Educação e Saúde, Rio de Janeiro, v. 11, n. 1, p. 53-71, 2013. DOI: https://doi.org/10.1590/S1981-77462013000100004

MORALES, Angélica Góis. A formação do profissional educador ambiental: reflexões, possibilidades e constatações. Ponta Grossa: UEPG, 2009.

MOUSINHO, Patrícia. Glossário. In: TRIGUEIRO, André (Coord.). Meio ambiente no século 21. Rio de Janeiro: Sextante, 2003.

OLIVEIRA, Patrícia Sinésia de. As ações de educação ambiental desenvolvidas pelas ONG nas comunidades rurais da Guiné-Bissau. 2020. Tese de Doutorado.

QUINTAS, José Silva. Salto para o Futuro, 2008.

QUINTAS, José Silva. Educação Ambiental na Gestão Pública: uma entrevista com José Quintas. [Entrevista concedida ao Ministério do Meio Ambiente]. Fichário de Educação Ambiental, v.1, n.13, p. 83-91, maio, 2015.

REIGOTA, Marcos. Meio Ambiente e representação social. 7ª ed. São Paulo: Cortez editora, 2007. p. 87.

REIGOTA, Marcos. O que é educação ambiental.1ª ed. E-book. São Paulo: Brasiliense, 2017, 83 p.

REIGOTA, Marcos. A Educação Ambiental: a emergência de um campo científico. Perspectiva, Florianópolis, v. 30, n. 2, p. 499-520, maio/ago. 2012. DOI: https://doi.org/10.5007/2175-795X.2012v30n2p499

SAHEB, Daniele. A Educação Ambiental na formação em Pedagogia. 2008. Dissertação (Mestrado) Programa de Pós-Graduação de Educação-Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR, 2008.

SAHEB, Daniele. Os saberes socioambientais e a formação do educador ambiental sob o foco da complexidade. 2013. Tese (Doutorado) Programa de Pós-Graduação de Educação-Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR, 2013.

SAMPAIO, Aloísio Costa, Talamomi L.B. Jandira: Educação ambiental: Da

prática pedagógica à cidadania – São Paulo: Escritura Editora, 2003.

SATO, Michèle; GAUTHIER, Jacques Zanidê; PARIGIPE, Lymbo. Insurgência do grupo-pesquisador na educação ambiental sociopoiética. Educação ambiental-Pesquisa, p. 101-120, 2005.

SAUVÉ, Lucie. Uma Cartografia das Correntes em Educação Ambiental. In: SATO, Michele, CARVALHO, Isabel (Orgs). 2003. A pesquisa em educação ambiental: cartografias de uma identidade narrativa em formação. Disponível em:< http://web.unifoa.edu.br/portal_ensino/mestrado/mecsma/arquivos/sauve-l.pdf >.

SAUVÉ, Lucie. Educação Ambiental e Desenvolvimento Sustentável: uma análise complexa. Revista de Educação Pública, vol. 10, 1997.

SORRENTINO, Marcos et al. Educação ambiental como política pública. Educação e pesquisa, v. 31, p. 285-299, 2005. DOI: https://doi.org/10.1590/S1517-97022005000200010

TBILISI, RECOMENDAÇÕES. I Conferência Intergovernamental sobre Educação Ambiental. Geórgia, ex-URSS, de, v. 14, 1977.

TREIN, Eunice. A perspectiva crítica e emancipatória da educação ambiental. Educação Ambiental no Brasil, p. 4, 2008.

Published

2023-08-01

How to Cite

Marques, R., Lelis, D. A. de J., Fraguas, T., Alchieri, R. M., & Cunha, B. O. (2023). AS CORRENTES E TENDÊNCIAS POLÍTICO-PEDAGÓGICAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL: UM ELO ENTRE PERSPECTIVAS, PARADIGMAS E CONCEPÇÕES. Revista Contemporânea, 3(8), 9912–9946. https://doi.org/10.56083/RCV3N8-002

Issue

Section

Articles